Publicado por: protouro | 17 de Julho de 2018

Mais um Deputado Paspalho

António Prôa deputado do PSD escreveu um artigo no jornal “Sol” intitulado “Touradas e totalitarismos”.

antonio proa

A conversa é a mesma do costume desrespeito pela tradição popular, identidade de um povo, liberdade, tolerância e por aí fora.

No entanto a dada altura escreve o mesmo e citamos:

“Uma corrida de touros à portuguesa é uma manifestação cultural de arte e bravura. Um combate entre a força e bravura natural de um animal que coloca à prova a coragem do homem. Trata-se de uma expressão que envolve a cumplicidade artística entre o cavalo e o cavaleiro, o destemor dos forcados e que elogia e respeita as características de bravura do touro. Apenas a arrogância e a ignorância podem confundir este espectáculo com sadismo.”

Mais um que sofreu uma lavagem cerebral, ao ponto de não perceber, que não existe bravura natural do animal o que existe é um animal acossado por um punhado de bárbaros e que na sua condição de herbívoro ataca para se defender. Quanto ao destemor dos forcados, essa deve ser a anedota do ano, um bando de grunhos que ataca um animal extenuado, profundamente ferido e mais morto que vivo não é destemor pá é cobardia.

Olha António Prôa pegando nas tuas próprias palavras apenas a arrogância e a ignorância podem confundir um espectáculo sádico, cruel e bárbaro numa manifestação de cultura e arte.

Prótouro
Pelo touros em liberdade

Anúncios
Publicado por: protouro | 16 de Julho de 2018

Campo Pequeno Crónica de uma Falência Anunciada

Mattamouros que foi designada pelo tribunal para administrar a insolvência da catedral de tortura vai acabar por levar a mesma à falência.

Quando foi designada administradora de insolvência e segundo afirmações da mesma não era aficionada nem percebia nada de touradas, mas depois, apaixonou-se pela tortura ao ponto de arrastar consigo o marido e a filha nas borlas que lhes concede para estarem em todas as touradas.

Uma família inteira a mamar à conta da insolvência mas adiante porque o que realmente importa é a forma como a Mattamouros administra o bordel, já que a mesma, com a ânsia de encher a praça que nunca enche, paga quantias chorudas a tauricidas espanhóis que são considerados figurões mas que não arriscam nada e como tal escolhem os bovinos que querem massacrar.

mattamouros e morante

Nada que ninguém não soubesse algo que todos calavam até se dar a monumental bronca que teve lugar no passado dia 5 no Campo Pequeno.

Os dois tauricidas espanhóis que não conseguiram encher a praça de tortura escolheram a dedo os touritos de três anos, que de acordo com os críticos tauromáquicos, não só entraram na arena com os cornos afeitadíssimos como não tinham forças e não investiam.

O afeitado consiste em serrar os cornos a um touro em pontas de modo a que o mesmo perca o sentido da distância deixando o tauricida em clara vantagem.

afeitado

Mais uma prova da barbaridade tauromáquica onde os tauricidas cobardes não arriscam nada embora gostem muito de encher a boca para afirmar que é um ritual de morte onde o touro os pode matar.

Após estes factos os tauromaníacos assistentes explodiram ao ponto de chamar filho da puta a Rui Bento gerente do recinto.

A Mattamouros e o seu fanatismo pela barbárie tem tudo para levar o Campo Pequeno à falência e o tempo o dirá porque as touradas têm cada vez menos público!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

A federação merdosa quer que o Ministro da Cultura se pronuncie sobre os ataques que estão a ser feitos à tauromaquia.

Dizem eles que é inadmissível que o Governo não se pronuncie sobre as tentativas de proibições culturais quer pelo parlamento, quer pelo poder local porque segundo os tipos e citamos:

“Se a própria lei reconhece que a Tauromaquia é cultura, é então obrigação do Estado promover e assegurar o acesso dos seus cidadãos à Tauromaquia. Qualquer decisão tomada no sentido de limitar ou proibir o acesso a um espetáculo cultural é inconstitucional.”

tortura nao e cultura

Esta gente que gosta tanto de usar a palavra democracia para continuar a enriquecer e divertir-se à custa do sofrimento de seres sencientes é mesma que depois quer castrar essa mesma democracia caso ela lhe seja desfavorável.

Ora haja alguém que diga a estes fascistóides disfarçados de democratas, que entrar com projectos-lei para abolir touradas ou abolir touradas num determinado concelho é a democracia a funcionar quer no parlamento, quer no poder local.

E como a constituição não consagra a tauromaquia como cultura, não vale a pena continuar a bater na mesma tecla, qualquer decisão que seja tomada no sentido de abolir a dita cuja é perfeitamente constitucional.

Mas como a democracia é algo que para eles é um bicho-de-sete-cabeças, a única coisa que sabem fazer é querer isto, exigir aquilo e ameaçar com os tribunais dando como exemplo o que se passou com o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga relativamente a Viana do Castelo, esquecendo-se convenientemente, que só conseguiram ganhar a providência cautelar porque na altura, segundo as más-línguas o advogado da “prótoiro” andava a dar umas voltas na cama com a juíza.

Após a substituição da mesma uma outra providência cautelar analisada por outro juíz foi indeferida.

Portugal é um país de corruptos como todos nós sabemos, mas felizmente, ainda existe muito boa gente que não está à venda!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 13 de Julho de 2018

A Tauromáfia Tomou Conta do Parlamento

De acordo com o blogue tauromafioso “Farpas” o tauricida António Ribeiro Telles foi um dos convidados para os habituais almoços que um grupo de aficionados tem levado a cabo na Assembleia da República.

deputados e tauricidas parlamento

Habituais almoços organizados por um grupo de aficionados dentro parlamento!

Quem é o grupo de aficionados que organiza estes almoços os deputados que aparecem na foto com a escumalha?

Não restam dúvidas esta gentalha infiltra-se em todo o lado portanto não é para admirar que muitos deputados tenham votado contra a abolição das touradas!

Ao que este país chegou o amiguismo, o servilismo e sobretudo a corrupção de muitos à máfia tauromáquica em todo o seu esplendor!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 12 de Julho de 2018

Até a Subdirectora do DN foi Comprada pela Tauromáfia

Joana Petiz subdirectora do “Diário de Notícias” escreveu um artiguinho intitulado “As touradas são só uma parte do que o PAN quer proibir”.

joana petiz

No início do artigo começa logo por afirmar que as touradas não recebem subsídios estatais ou europeus.

Só mesmo uma jornaleira para tentar desmentir o indesmentível porque se fosse jornalista como clama ser, teria investigado e verificado que esses subsídios existem e estão documentados oficialmente, e depois vem a verborreia do costume as touradas são parte integrante da cultura e blá-blá-blá.

Para além disso afirma a dita cuja que os abolicionistas que se manifestam em frente ao Campo Pequeno não arriscam a ver mais do país, e assim não percebem que as touradas são cultura e tradição de Portugal e que o PAN no seu programa eleitoral que ninguém leu quer proibir não só as touradas, como a caça desportiva, o foie gras, impor a obrigação de parar e prestar assistência aos animais vítimas de atropelamento, acabar com o extermínio de pombos citadinos e etc.

Pois lá vem a estória dos urbanos depressivos contra o mundo rural irra que esta gente é tão oca de ideias que repete à exaustão a mesma merda do costume.

Sim a palavra aqui é mesmo merda porque já não há pachorra para todos estes mânfios que definitivamente comem gelados com a testa!

Já agora diz-nos lá Joana Petiz quanto é que a “prótoiro” te pagou para vomitares tanta diarreia?

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 10 de Julho de 2018

Vila Franca de Xira – O Testa-de-Ferro da Tauromáfia

Alberto Mesquita tal como a sua antecessora vendeu-se à máfia tauromáquica, e tal como a sua antecessora gasta milhões em tauromaquia, mas não contente com esse facto agora quer o estatuto de património cultural para a festa do Colete Encarnado.

De acordo com o energúmeno o processo para que tal barbaridade integre o inventário de património cultural imaterial de Portugal será entregue na Direcção-Geral do Património Cultural no final deste ano ou no início de 2019.

Mas será que estes manhosos não se enxergam? Como é que uma “festa” onde pessoas são colhidas e mortas e onde animais são torturados e abusados poderá ser considerada património cultural?

colhida largada de touros

Num país de loucos talvez mas num país que clama ser evoluído JAMAIS!

O desespero desta gentuça é tal, que nem percebem, que para que algo seja inscrito no património cultural é preciso o consenso não de um punhado de vila-franquenses, mas de sim de milhões de portugueses, o que significa que esta candidatura imbecilóide não tem pernas para andar.

Estes autarcas tauromafiosos corrompidos até à medula pelo lobby tauromáquico e que não têm dois neurónios funcionais pensam que estas candidaturas blindam como eles dizem a tauromaquia, esquecendo-se porém, que mesmo que fossem aprovadas hoje podem ser retiradas amanhã porque na realidade mudam-se os tempos e mudam-se as vontades.

E os tempos são de mudança, mudança para a evolução, mudança para uma sociedade mais compassiva com os seres sencientes e sobretudo mudança para acabar com o caciquismo que impera neste país e que ainda permite que ladrões se apoderem do poder!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 9 de Julho de 2018

A Tauromaquia Não é Cultura é Negócio

Já o dissemos várias vezes e voltamos a repetir, apesar do decreto-lei que regula a tauromaquia afirmar que a mesma é cultura popular, a verdade nua e crua é que a tourada pode ser popular para alguns mas de cultura nada tem já que é um negócio imundo onde seres sencientes são torturados para enriquecer um punhado de anormais.

touradas negocio

Toda esta gentalha vive à conta do Estado através de subsídios estatais, europeus e camarários e como o negócio vai de mal a pior não se coibem de arranjar esquemas para esmifrar ainda mais dinheiro.

Como todos nós sabemos a federação merdosa “prótoiro” cobra o dízimo em cada tourada que se realiza no país, mas não contentes com isso, de acordo com o blogue tauromafioso “touro e ouro” e citamos:

“A Federação resolveu fazer um cartão, que a si, chamará mais uma taxa, ou seja, a segunda paga pelas empresas… se já contribuem com um ‘x’ por corrida, agora e caso adiram, contribuíram com mais 4% por bilhete…”.

O cartão que o blogue refere é o cartão de retardado perdão de aficionado que supostamente dará descontos em bilhetes.

Assim sendo é caso para perguntar se estas taxas e taxinhas da “prótoiro” são do conhecimento do fisco ?

Sabendo nós da corrupção que impera neste país a todos o níveis é óbvio que o fisco e outras autoridades fecham os olhos a estas bandalheiras porque ao fim e ao cabo comem todos da mesma gamela.

E assim vai este país cheio de corruptos que se vendem por uma ninharia em defesa daquilo que eles políticos apelidam de cultura, e que mais não é, que um sórdido negócio de tortura de animais para divertimento de uma minoria de pervertidos que sem a tortura teriam que cavar batatas porque a educação que têm não dá para mais!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 7 de Julho de 2018

Qualquer Calhau com Olhos Escreve no “Diário de Notícias”

O desespero dos tauromafiosos é tal que conseguiram transformar um jornal respeitável num pasquim anedótico que nem para limpar o traseiro serve.

Depois de várias croniquetas de opinião de deputados bandalhos ontem foi a vez do psicopata Luis Capucha escrever uma intitulada “Defender a tauromaquia é defender a democracia e a liberdade”.

A verborreia é a mesma do costume democracia, liberdade, direitos e blá-blá-blá mas como até ele sabe que já ninguém engole essas patranhas decidiu inovar ao afirmar que se trata de em nome de uma falsa defesa dos animais impor um padrão de gosto de minorias activistas alimentadas por interesses económicos poderosos ou seja as chamadas indústrias pet.

capucha o psicopata

Mas se alguém pensa que esta inovação saiu da cabeçorra deste palerma desengane-se porque os aficionados portugueses são tão, mas tão pobres de ideias, que as copiam todas mas todinhas dos aficionados espanhóis.

A estória dos abolicionistas serem financiados pelas multinacionais de comida para animais de companhia é tão portuguesa, como portuguesa é a palava antitaurino, taurino ou outras tantas que eles usam para defenderem uma “tradição” portuguesa.

Este mamão nojento que à conta de ser do PS conseguiu embolsar 200.000 euros do OPP em 2017 apesar do seu ignominioso projecto não ter tido a maioria dos votos é a prova escarrada e cuspida que neste país qualquer borra-botas consegue tudo o que quer desde que pertença ao partido instalado no poder!

O que este alarve e outros tantos como ele ainda não perceberam é que os gostos doentios deles não são aceites pela maioria dos portugueses, e à força de tanto os tentarem impingir, ainda vão conseguir que uma grande parte dos indiferentes se juntem aos abolicionistas.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 6 de Julho de 2018

Partidos Bandalhos

Socialistas, sociais-democratas, centristas, comunistas tudo trampa, tudo farinha do mesmo saco.

Se já sabíamos que o CDS e o PCP iriam votar contra o projecto-lei do PAN para abolir a tauromaquia havia a esperança que o PS e o PSD dessem liberdade de voto, no entanto, ambos os partidos deram orientação aos deputados para votar contra conforme artigo publicado ontem às 18.51 horas pelo “Diário de Notícias”.

assembleia republica

Para nós a posição destes dois partidos nojentos não nos espanta já que os seus deputados, tal como os do PCP e do CDS comem na mesma malga que o lobby tauromafioso e são corrompidos por este mesmo lobby.

Enquanto as pessoas continuaram a votar nestes partidos de esterco este país não vai a lado nenhum e os animais continuarão a ser torturados para gáudio de uma minoria de anormais que entretanto vai enriquecendo à conta dos bandalhos que proliferam na Assembleia da República.

Se queremos a mudança então a única solução é correr de vez com estes partidos.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

 

Publicado por: protouro | 5 de Julho de 2018

Patrícia Fonseca a Deputada Aldrabona

Patrícia Fonseca deputada do CDS escreveu um artigo no “Diário de Notícias” (não restam dúvidas que o pasquim foi comprado pela máfia tauromáquica) intitulado “Touradas: Cultura de liberdade vs. Cultura autoritária”.

patricia fonseca cds

A dada altura afirma e citamos:

“Os argumentos vão de análises históricas a estudos “mais ou menos científicos” que levam qualquer pessoa menos informada às conclusões pretendidas – que as corridas são uma barbárie e de quão selvagens e retrógrados são todos quantos as apoiam e assistem.”

E acrescenta ainda e voltamos a citar:

“De Vinhais a Albufeira, todos os anos, cerca de meio milhão de portugueses – os aficionados e os não aficionados, mas que apreciam o espectáculo taurino – assistem a corridas de touros nas praças. 32,7% dos portugueses afirmam-se aficionados (dados Eurosondagem), fora todos os que a elas assistem na televisão, e que foram cerca de 2 milhões em 2017. Concluímos assim que somos, portanto, cerca de 3 milhões e meio de bárbaros em Portugal!”

Ai Patrícia, Patrícia acabaste de borrar a pintura e sabes porquê? Porque se os estudos que os abolicionistas apresentam são falácias, de acordo com as tuas palavras, os números que tu apresentas são mentiras quilométricas que a “prótoiro” te enfiou na cabeçorra porque a sondagem da Eurosondagem foi encomendada pela “prótoiro”, os dois milhões que assistiram na televisão foram fabricados pela “prótoiro” e a conclusão de que existem 3 milhões e meio de aficionados não é tua mas sim mais uma vez da “prótoiro”.

Para deputada és muito ignorante porque se fosses inteligente baseavas-te nos números da IGAC esses sim oficiais e que provam que as touradas têm cada vez menos espectadores mas não, preferes escrevinhar umas bojardas baseadas em aldrabices da “prótoiro”.

Ora diz-nos lá Patrícia se os portugueses tivessem que acreditar em alguém iriam acreditar em quem? Em ti que vomitas tudo o que a “prótoiro” te dá a comer ou em estudos e análises verazes!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Older Posts »

Categorias