Publicado por: protouro | 14 de Fevereiro de 2019

Ex-Forcado Rejeitado pela IGAC Põe a Boca no Trombone

António Galveias ex-forcado do Aposento da Moita candidatou-se ao concurso promovido pela IGAC para novos directores de corrida e reprovou.

Devido a tal facto o mesmo enviou uma carta ao Inspector-Geral das Actividades Culturais onde acusa a IGAC de desconhecimento, ignorância, inexperiência, ineficiência e negligência em todo o processo.

antonio galveias

A longa carta afirma a dada altura e citamos:

“O espetáculo tauromáquico está ferido de ilegalidade por atuação exclusiva da IGAC, pondo inclusivamente em causa a realização dos próprios espetáculos no que respeita à sua segurança e validade:
– Enfermarias sem condições, equipas médicas sem qualificações, ausência de curros, permanência de reses a lidar dentro dos veículos de transporte, falsa informação ao público, incumprimento da ferragem, inobservância das exigências previstas para o recinto, apenas para referenciar algumas das irregularidades constantes e permanentes.(sic)”

Estas acusações que acreditamos serem verazes denunciam que a IGAC no que toca à tauromaquia está vendida e de que maneira ao lobby tauromáquico, e consequentemente, provam uma vez mais que todos nós pagamos para uma entidade que não fiscaliza rigorosamente nada.

Já que este país da treta tem um decreto-lei que regula a barbárie tauromáquica há que acabar com esta bandalheira ou bem que a IGAC faz cumprir o decreto ou então extinga-se a IGAC e ao mesmo tempo passe-se a porcaria da tauromaquia para a tutela do Ministério da Administração Interna já que um espectáculo violento e cruel não é um caso de cultura mas sim um caso de polícia!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Anúncios
Publicado por: protouro | 13 de Fevereiro de 2019

FACT CHECK do Nosso Blogue ao Artigo do Polígrafo (C/Som)

O jornal o “Polígrafo” a pedido de vários leitores decidiu fazer um fact check ao artigo por nós publicado em 27 de Janeiro e intitulado “20 Mil Euros em Bilhetes para uma Tourada”.

Feito o “fact check” depois de ter ouvido a vereadora Maria Inês Leiria Barroso o “Polígrafo” considerou que o mesmo era impreciso.

Pela parte que nos toca a definição de imprecisão pelo dito jornal prova que quem faz estes supostos fact checks deixa muito a desejar, porque se o tal fact check fosse feito com rigor teria constatado que existe um audio em que a veredora afirma sem sombra de dúvidas que foram comprados 20 mil euros em bilhetes para a primeira tourada a realizar na praça de touros de Santarém.

A nós pouco nos importa que a vereadora vos tenha dito tal como e citamos: “Posso ter gerado confusão. O município pretende apoiar com 20 mil euros, ou até mais, mas para a primeira a corrida estão previstos dez mil, e cinco mil para as próximas duas.”

O nosso blogue não inventa e acima de tudo não produz factos que o “Polígrafo” acha imprecisos e a prová-lo eis o audio que confirma o que afirmámos no nosso artigo.

 

Se o “Polígrafo” se baseia em palavras de políticos que como todos nós sabemos são pessoas desonestas, então está tudo dito, porque perante tal facto é caso para dizer que quem tem que fazer fact checks aos facts checks do “Polígrafo” têm que ser os seus leitores!

Para ler o artigo do “Polígrafo” clicar AQUI

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 12 de Fevereiro de 2019

O Partido do Táxi e a Defesa do Mundo Rural

O presidente da juventude popular do CDS Francisco Rodrigues dos Santos numa audiência com a CAP (Confederação de Agricultores de Portugal) afirmou que para existir um mundo urbano tem obrigatoriamente de existir um mundo rural, mundo esse que tem impacto social no país tal como a caça, a pesca, a columbofilia ou a tauromaquia.

jp do cds e cap

Estamos fartos de fedelhos e deputados bafientos que esgrimem estupidamente a falácia do mundo rural para defenderem o indefensável ou seja, que abusar maltratar e matar animais em nome do divertimento faz parte do mundo rural.

E a prova que tudo isto é uma mentira descomunal propagada à exaustão por políticos e deputados corruptos, está plasmada no relatório de 2018 da IGAC que afirma, que as localidades com mais touradas são Lisboa (14 espectáculos) e Albufeira (25 espectáculos).

Pois é as localidades não são Alter do Chão, Viana do Alentejo ou Monforte só para citar três exemplos mas sim e repetimos Lisboa e Albufeira.

Ora se não estamos em erro Lisboa é a capital do país e Albufeira uma estância turística no Algarve portanto de que mundo rural é que estamos a falar?

Uma vez mais se prova que esta estória da defesa do mundo rural mais não é que uma falsidade para sustentar os gostos perversos de uma minoria que adora assistir à tortura e morte de seres sencientes!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 5 de Fevereiro de 2019

Aficionados em Fúria com Campanha da SIC

A SIC Notícias tem uma campanha publicitária com vários vídeos sendo que um deles mostra a imagem de uma tourada afirmando:  “Isto não é uma Tourada, isto é o sofrimento dos animais”.

campanha sic

Tal foi o bastante para pôr os aficionados à beira de um ataque de nervos porque acham que os seus gostos perversos têm que ser respeitados.

A propósito desta campanha o sociólogo vigarista Luís Capucha afirmou e citamos:

“Provavelmente estará alguém agora na direcção da SIC Notícias que não será aficionado e que ache uma gracinha fazer isto, tal como a ministra achou uma gracinha dizer aquilo que disse, tal como o primeiro-ministro também achou piada dizer aquilo que disse, portanto acho que é bastante (vou usar uma palavra dura mas verdadeira) estúpido fazer aquilo, porque estão a dividir o povo português, estão a delapidar património que é do país e não estão a contribuir em nada para o nosso desenvolvimento da nossa sociedade e progresso da nossa civilização.”

Só mesmo um calhau com olhos para acreditar que tal campanha divide o povo quando é por demais consabido que o povo está dividido há anos no que respeita à barbaridade das touradas já que a maioria rejeita esta prática.

E quanto ao desenvolvimento e progresso do país não nos faças rir, porque o que não contribui em nada para o avanço civilizacional é termos governantes e partidos que ainda se empenham em promover e apoiar monetariamente um espectáculo cruel que já deveria ter sido erradicado há muito.

Não há dúvidas que este calhorda ainda vive no tempo das cavernas!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 3 de Fevereiro de 2019

O Sociólogo Trafulha e o Sonho Delirante da UNESCO

Luís Capucha em entrevista à infocul afirmou que o projecto para a candidatura da tauromaquia a património cultural imaterial de Portugal deverá estar pronto no fim do ano.

Esta afirmação foi feita no final da inauguração do busto repugnante do tauricida José Júlio busto esse, que foi pago pela autarquia de Vila Franca de Xira.

luis capucha vfx

Afirmou ainda o tipo que produz estudos fraudulentos sobre tauromaquia que e citamos:

“O projecto para a candidatura da Tauromaquia a Património Imaterial Cultural de Portugal deverá estar pronto no final deste ano e depois iremos junto com Espanha, França e outros, actuar junto da UNESCO, que será uma outra batalha, um passo a seguir.”

Portanto o fulano está convencido que a Direcção Geral do Património Cultural vai aceitar a inventariação, quando tal jamais acontecerá, porque mesmo que este país seja uma vergonha no que respeita à tauromáfia ninguém se atreverá a aceitar semelhante obscenidade.

E o grunho é tão ignorante que refere França desconhecendo que a mesma retirou a tauromaquia do inventário de património cultural imaterial.

A tauromáfia continua a sonhar que a UNESCO aceitaria incluir no património cultural imaterial algo tão bárbaro e cruel como a tauromaquia, algo que ao invés de unir os povos os divide o que prova que nunca devem ter lido a Convenção Para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial.

Vai sonhando vai porque tal por enquanto ainda não paga impostos!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 27 de Janeiro de 2019

20 Mil Euros em Bilhetes para uma Tourada

A autarquia de Santarém gastou a “módica” quantia de 20 mil euros na aquisição de bilhetes para a primeira tourada que terá lugar no dia 17 de Março na praça Celestino Graça.

A vereadora Maria Inês Leiria Barroso afirmou e citamos:

maria ines barroso cm santarem

“Houve um investimento inicial, obviamente nesta fase inicial do projecto destes e com esta qualidade havia que dizer presente e dar um voto de confiança. Portanto nós adquirimos 20 mil euros em bilhetes para a primeira corrida de touros, vamos oferecer nas juntas de freguesia, vamos oferecer aos escalabitanos, para que nós tenhamos os 11500 lugares, no dia 17 de Março, completamente esgotados.”

A fulana disse tudo porque todas as câmaras corruptas vendidas à tauromáfia sabem que a tauromaquia está moribunda, portanto, se não oferecerem bilhetes as praças estão às moscas.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 24 de Janeiro de 2019

A Falácia dos Números de Espectadores em Touradas

Como é do conhecimento geral o número de espectadores em touradas é contabilizado pela IGAC com base em estimativas, ou seja, os directores de corridas que são todos aficionados calculam os números a olhómetro.

Ora bem até 2010 o INE também o fazia através do número de bilhetes vendidos e oferecidos e de acordo com o quadro que se segue da autoria do PAN os números são completamente díspares.

quadro numero espectadores touradas

Como podem verificar existem números do INE que contabilizados pela IGAC são praticamente o dobro o que prova uma vez mais que o número de aficionados em Portugal é diminuto, porque mesmo quando os números do INE referem mais de 300.000 bilhetes vendidos e oferecidos, é preciso não esquecer, que isso não significa mais de trezentos mil espectadores já que um aficionado nunca assiste a uma só tourada mas sim a dezenas delas, logo se dissermos que o número de espectadores não ultrapassa os 50.000 não estamos a inventar, estamos somente a constatar a realidade.

Com uma população de dez milhões, cinquenta mil aficionados equivale a 0,5%, ou seja 1 em 200 pessoas.

Esta é a realidade tudo o resto são aldrabices propagadas pela “prótoiro” e quejandos.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 18 de Janeiro de 2019

Aficionados Querem Realizar Tourada no Palácio de Cristal

Ontem, de acordo com o blogue tauromafioso “Barreira de Sombra”, cerca de quarenta aficionados nortenhos – ena tantos – reuniram-se num jantar num restaurante da Foz e pasmem-se um deles Joaquim Filipe Mesquita assumiu que a sua batalha é a realização de uma tourada no Palácio de Cristal.

aficionados nortenhos

Não sabemos que drogas é que esta escumalha consome mas devem ser muito boas ao ponto de terem alucinações impressionantes tal com a realização de uma tourada no Porto!

Sim porque não esqueçamos que a última tourada no Porto ocorreu no início dos anos 90 do séc.XX numa praça improvisada e originou vários distúrbios entre populares e promotores da iniciativa.

No dia seguinte à tourada o jornal “Primeiro de Janeiro” escrevia:

“A arrogância dos organizadores da tourada que ontem se realizou no Porto esteve na origem dos distúrbios entre populares e defensores dos animais, por um lado, e os promotores da iniciativa. A PSP teve de intervir. Uma pessoa saiu ferida da refrega, que até teve a presença provocante, inoportuna e parola do cavaleiro Joaquim Bastinhas.”

No jantar estiveram também presentes membros do Movimento em Favor da Festa dos Toiros na Póvoa de Varzim, que anunciaram, a realização de uma tourada no concelho da Póvoa em Junho ou Julho e que o processo legal e administrativo está nas mãos da “prótoiro”.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 17 de Janeiro de 2019

A Costela Espanhola da “Prótoiro”

A “prótoiro” a federação merdosa que vive, respira e copia tudo o que a tauromáfia espanhola faz decidiu avançar com processos contra os anti-touradas que se congratularam com a morte do tauricida Bastinhas.

Estes acéfalos não conseguem perceber que neste país não existe a lei da mordaça tal como existe em Espanha, onde a liberdade de expressão é nula e como tal, acham que com processos judiciais nos conseguem calar.

De acordo com o blogue tauromafioso “touro e ouro” e citamos:

“Questionado sobre que tipo de acções em concreto vão ser tomadas pela Federação sobre estas atitudes racistas, Paulo Pessoa de Carvalho afirma que ‘iremos diligencia acções concretas, para que a partir de agora este tipo de comportamentos inqualificáveis acabem, e sobretudo que termine a impunidade sobre estas barbaridades’ (sic)

paulo pessoa carvalho

Atitudes racistas! Congratular-se com a morte de um tauricida é uma atitude racista?
Desde quando é que os tauricidas são uma raça?

Estes calhordas que se ofendem muito com afirmações do tipo “morreu é menos um a torturar e a matar animais” algo que não é uma celebração mas sim uma constatação de facto, são os mesmos que agridem fisicamente os abolicionistas aos gritos de morram filhos da puta morram!

Quem goza de impunidade Paulo Pessoa de Carvalho não somos nós, mas sim tu e todos os canalhas que graças aos milhões de subsídios que recebem dos contribuintes continuam a viver à tripa forra.

Se os abolicionistas recebessem os milhões do erário público que vocês recebem há muito que vocês estariam a ver o sol aos quadradinhos!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 16 de Janeiro de 2019

O Declínio das Touradas

António Pica Tereno o execrável ex-autarca de Barrancos escreveu um artigo dedicado ao tauricida Bastinhas intitulado “A faena de um bravo!”

No referido artigo pergunta-se o que pensaria o tauricida sobre e citamos:

“- A falta de “afición” dos filhos de muitos aficionados…o que é que falhou na transmissão do gosto pelas corridas, do amor pelos toiros?

– Porque não se passaram os conhecimentos deste mundo tão apaixonante… de quem é a responsabilidade?

– Vemos praças quase desertas… qual a percentagem de responsabilidade que nos cabe a nós taurinos (aficionados, toureiros a pé e a cavalo, empresários, forcados, imprensa taurina e outros agentes da Festa de Toiros) por não termos agido atempadamente… pecámos por omissão?

-Vamos assistir impávidos e serenos ao declínio e morte da Festa?”

antonio pica tereno

Este é o mesmo tipo que num artigo de opinião em 2018 afirmava que a “festa” estava viva e que as praças de touros estavam sempre cheias!

Fugiu-lhe a boca para a verdade o que prova uma vez mais que cada vez que os aficionados abrem a matraca só se enterram.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Older Posts »

Categorias