Publicado por: protouro | 24 de Fevereiro de 2017

Aficionados Desacreditam a “Prótoiro”

A propósito do Bullfest vários cronistas tauromáquicos não tiveram qualquer problema em desancar a “prótoiro”.

bullfest

Hugo Calado por exemplo escrevinhou numa crónica intitulada “Bullfest…? Eu direi sempre Festa dos Touros” o seguinte e citamos:

“Na divulgação escrevia-se que era intenção deste evento abrir a festa brava a outros públicos (mas já não deveria estar?), pois durante um dia inteiro vi as pessoas de sempre, portanto é como um jogo de cartas, baralha-se, parte-se e volta-se a dar!
O que faltou? Faltou mais divulgação, pois se houve publicidade nos meios de comunicação generalista, contudo e mais uma vez, esta foi muito pouca. Na imprensa da especialidade houve alguma, mas como a Protoiro não tem mostrado consideração por pessoas que 365 dias por ano promovem a festa, a imprensa da especialidade (pelo menos alguma), continua sem dar grande destaque à Protoiro e suas atividades de “promoção” da festa.
Não sei quanto tempo demorou a preparar este evento, certamente algum, mas da maneira que foi executado, e muita gente o comentava, parece que foi feito em cima do joelho e direcionado para vender merchandising e fazer fliers e bandeirolas da marca touradas!”

Outro cronista que também ataca a “prótoiro” é a Solange Pinto e voltamos a citar:

“A comunicação da Prótoiro face ao ‘exterior’, é deficitária, paupérrima e pior, creio que fazem questão que seja assim. Apresentou-se com pompa e circunstância a marca ‘Touradas’, mas não se chamou a imprensa, para que em primeiríssima mão, tomasse conhecimento da existência do festival, dos seus objectivos e metas e para que à nossa escala e possibilidade, ajudássemos na divulgação. Pois bem, esta foi a primeira imagem passada deste evento: núcleo fechado! A Federação sempre se afinou por este diapasão. A penumbra e o circuito apenas aberto a quem é ‘imposto’ que contribua com uma parcela dos seus cachets… A imprensa, da especialidade ou generalista, surge muito depois dos factos consumados, como uma tábua de salvação, a quem imagine-se, quando pedida entrada, se sugeriu que desse um donativo de 20 euros… Tudo louco ou quê? A mesma imprensa que não serve para dividir os anseios e trabalhar em conjunto na promoção do evento, serve para fazer donativos? Mau! Além de falta de bom-senso, é um tiro nos pés sem precedentes. A imprensa divulga, não paga! Paga, com trabalho, com meios e com seriedade.

Dizem os números oficiais da Prótoiro, que passaram pelo Bullfest, cerca de 13 mil pessoas e aqui é que a coisa se torna ainda mais preocupante. Sim, porque os horários dos eventos não serem respeitados, isso, lamente-se, é bem à portuguesa e aqui, a não houve ideologia estrangeira que valesse como exemplo… O que sim é preocupante, é pensarmos, que percentagem das 13 mil ‘cabeças’ foram ao evento pago, na praça de touros da capital?

Li opiniões que contaram o sucesso do evento. Mas onde? Como é que um tauródromo/evento, num dia em que ali passam 13 mil pessoas, apenas e na melhor das hipóteses, ali consegue meter 4 mil (estou a ser simpática para que não me acusem de ser má língua) pode regozijar-se de evento de sucesso? Repito a pergunta. Está tudo louco?”

Estes são só dois exemplos que corroboram que o Bullfest foi um fiasco total porque há mais muitos mais. O único cronista que elogiou o evento e o apelidou de sucesso foi o Miguel Alvarenga mas tal não espanta já que o gajo é pago pelo Campo Pequeno e pela “prótoiro” para escrever aldrabices.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 21 de Fevereiro de 2017

Aficionada Difamadora

Patrícia Sardinha presidente do grupo tauromafioso “Sector 1” decidiu acusar na sua website asquerosa “Naturales” os anti, ou seja, os anti-touradas como autores do atentado bombista que teve lugar anteontem nas imediações da praça de touros de Bogotá, Colômbia.

Praça de touros essa que só conseguiu encher na primeira tourada. Depois foi o declínio total como se pode comprovar pela seguinte foto.

bogota-4-2-2017

Esta mulherzinha antes de falar devia lavar a bocarra de preferência com lixívia uma vez que não passa de uma mentirosa ignorante.

A pressa em difamar foi tal que nem sequer se deu ao trabalho de ler os jornais colombianos, porque se tivesse lido e se tivesse qualquer conhecimento que fosse do país, sem ser touradas, sabia que o mesmo é um ninho de grupos terroristas que lutam contra o sistema como por exemplo as Farc ou a ELN e sabia também que a polícia afirmou que este atentado que ocorreu cerca das dez e tal da manhã teve como alvo as forças policiais que se encontravam a fazer segurança perto da praça de touros. Mais, o comandante da polícia afirmou aos órgãos de comunicação social que este atentado não foi perpetrado por anti-touradas, algo que nem precisava ser dito porquanto é por demais óbvio que os abolicionistas não são pessoas violentas.

Se dúvidas houvessem a Patrícia é somente a gota de água no charco dos aficionados para os quais a vida se resume a touradas, aficionados esses, que não conseguem enxergar para além dessa aberração e que impunemente continuam a difamar todos aqueles que lutam pela abolição da tauromaquia.

A tourada que anteontem teve lugar em Bogotá não foi só a última da temporada foi também ao que tudo indica a última tourada no país.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 19 de Fevereiro de 2017

O Festival da “Prótoiro” foi um Fiasco

O BullshitFest organizado pela federação merdosa o tal que os aficionados apregoavam que iria ser um sucesso ao ponto de ser repetido em próximos anos foi um fiasco de público.

Ontem o Campo Pequeno como se pode ver pela foto estava a rebentar pelas costuras 😆

campo-pequeno-18-2-2017

Mais uma prova que os aficionados são cada vez menos e se tivermos em conta que metade do pessoal entrou à borla então a “prótoiro” deve ter angariado uma “pipa” de massa.

E alguém acredita que depois deste desastre tauromafioso haja um bullfest dois?

Nós não.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 18 de Fevereiro de 2017

Autarquia de Setúbal Compra Praça de Touros

A Câmara Municipal de Setúbal decidiu comprar a praça de touros e quanto é que custou essa aquisição?

Nada mais nada menos que um milhão cento e noventa e um mil duzentos e noventa euros.

Leram bem 1.191.290,00 euros!

praca-de-touros-setubal

De acordo com a autarquia depois desta compra a câmara quer remodelar a mesma e cobri-la o que obviamente custará mais uma pipa de massa e quem é que paga estas megalomanias de certas autarquias?

Todos nós é claro.

Embora a câmara afirme que esta compra e subsequente remodelação tem como finalidade a realização de outros espectáculos, é óbvio, que as touradas continuarão a ter lugar porque como todos nós sabemos não é primeira vez que esta autarquia gasta dinheiro em tauromaquia.

É inaceitável que em pleno séc.XXI certos municípios deste país continuem a espatifar milhões do erário público para comprar e/ou remodelar praças de touros quando todos nós sabemos que as touradas têm os dias contados.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 15 de Fevereiro de 2017

18 de Fevereiro o Dia em que a Incultura Sai à Rua

A federação merdosa e mentirosa “prótoiro” decidiu criar uma coisa chamada Bullfest, nós achamos que o nome mais apropriado seria Crapfest. Dizem eles que é um dia para celebrar a cultura portuguesa. Pois sim primeiro apelidam a trampa de bullfest e depois afirmam que é cultura portuguesa.

No programa do dito bullfest que decorre na praça de touros do Campo Pequeno incluem-se graffitis, teatro, D.Robertos, toureio de salão, etc., e como não podia deixar de ser um festival tauromáquico beneficente cujos fundos revertem para a “prótoiro” que pelos vistos está tesinha.

Também vendem t-shirts foleiras pela “módica” quantia de 16 euros.

t-shirts-protoiro

A “prótoiro” desde que foi criada mais não é que uma farsa, até aos olhos dos aficionados que reiteradamente a acusam disso mesmo porque tal como nós sabemos, eles também sabem, que a única finalidade da mesma é lavar o dinheiro mafioso da tauromaquia e o tal bullfest é um exemplo disso mesmo.

Num país isento de corrupção e onde os políticos não se vendessem, há muito que esta federação tinha sido investigada e extinta, mas nesta república bananeira, onde tudo é possível, a dita cuja até se dá ao luxo de afirmar que compra deputados!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 13 de Fevereiro de 2017

Aficionados em Exasperação Total

Após dois canais televisivos terem reportado que o número quer de espectáculos tauromáquicos, quer de espectadores tem vindo a diminuir e de que maneira no nosso país, os aficionados começaram a subir pelas paredes e a arrancar os cabelinhos e as reacções não se fizeram esperar.

A “prótoiro” apressou-se a emitir uma espécie de comunicado onde afirma e citamos:

“O relatório e dados revelados pela IGAC não retrata a atividade taurina nacional, reunindo apenas informação administrativa de actuação da própria Inspecção. A título de exemplo, os espectáculos na Região Autónoma dos Açores, tal como outros que não necessitam de director de corrida, não são contabilizados visto não estarem sob a alçada da Inspeção Geral Das Atividades Culturais, não retratando por isso, a totalidade da realidade tauromáquica no país.”

É preciso ter uma grande latosa para desmentir números oficiais, números esses, que relativamente a espectadores até vos beneficiam já que os mesmos não são contabilizados pela venda de bilhetes mas sim a olhómetro.

relatorio-igac

E mais adiante afirma a mentirosa federação que a tauromaquia é património cultural imaterial de Portugal. Parem de mentir a tauromaquia nunca foi, não é, e nem nunca será património de coisa nenhuma.

Mas os tipos desta federação merdosa não foram os únicos a reagir, Patrícia Sardinha presidente do grupo tauromáquico Sector 1 que defende touros de morte, também teve a distinta lata de afirmar que a estatística está errada e que quem a fez falhou algumas aulas de matemática. E a bebedeira era tão grande quando escreveu o artiguito que até vai ao ponto de afirmar e citamos:

“2016 trouxe-nos mais qualidade, mais rigor, uma homogenia no comportamento das reses bravas (menos mansos impossíveis de lidar) e até deu fôlego ao Toureio a Pé (Estaremos próximos do passo seguinte? A corrida integral?! Assim seja…).”

Tourada integral pois sim podes puxar uma cadeira e esperar sentada até ficares velhinha.

Estes tipos não conseguem, nem mesmo à martelada, perceber  que aquilo a que eles chamam festa já era, tem os dias contados e só existe ainda graças aos balões de oxigénio dos subsídios europeus, estatais e camarários.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 10 de Fevereiro de 2017

Vandalismo Tauromafioso

Anteontem a praça de touros de Barcelona “acordou” com várias frases tauromafiosas contra Pedro Balañá devido à recusa do mesmo em programar touradas.

Os tauromafiosos não tiveram qualquer pejo em apelidá-lo de traidor e cobarde vendido.

praca-touros-barcelona

praca-touros-barcelona1

praca-touros-barcelona2

Se fossem palavras de ordem contra a tauromaquia era vandalismo mas como são gatafunhos a favor rabiscados por aficionados deixam de ser vandalismo para passarem a ser catalogados como graffitis artísticos!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 9 de Fevereiro de 2017

Abolicionista Insultado e Agredido por Guarda Civil Espanhol

No passado dia 6 Óscar del Castillo da plataforma “Gladiadores Por la Paz” saltou à arena da praça de touros de Valdemorillo, Espanha para protestar contra a tauromaquia. Um dos agentes que procedeu à expulsão do mesmo da arena, ao invés de o identificar e eventualmente multar, levou-o para uma zona perto dos curros onde começou a insultá-lo e a agredi-lo porque queria que ele lhe dissesse quantos mais abolicionistas se encontravam na praça de touros.

Apesar de reiterar por diversas vezes que ele era o único presente e que fez tudo sózinho o agente continuava a insultá-lo e a agredi-lo sem que os outros guardas civis presentes levantassem um dedo para o proteger do energúmeno.

Mas nada melhor para aferir a violência policial que ver o vídeo.

O agente que fez isto não merece a farda que veste e os colegas que pouco ou nada fizeram para o impedir também não, no entanto, após a divulgação deste vídeo, a guarda civil ao invés de suspender de imediato a besta limitou-se a informar que está a investigar o que ela chama de incidente e o que nós chamamos de brutalidade policial.

É por demais óbvio que este brutamontes é aficionado, porque essa é única explicação para o seu comportamento abjecto, e é por demais óbvio que tipos como este deveriam ser imediatamente expulsos da corporação porque mancham a mesma e incutem a ideia que as autoridades policiais ao contrário de protegerem as pessoas as insultam e agridem.

Embora a data que aparece no vídeo seja 31.1.2007 todos os jornais e televisões espanholas referem que os acontecimentos tiveram lugar no dia 6 de Fevereiro de 2017.

Prótouro
Pelos touros em liberdade
Publicado por: protouro | 8 de Fevereiro de 2017

Tourada em Barcelona – Um Rotundo Não

O recém criado partido político espanhol que dá pelo nome de ANATUR – Acción Natural Ibérica composto por abusadores e exploradores de animais tais como aficionados, caçadores, ganadeiros, pescadores e etc., queria fazer uma tourada no dia 5 de Junho Dia Mundial do Meio Ambiente na praça de touros de Barcelona.

anatur

Na sequência deste pedido a Federação de Entidades Tauromáquicas da Catalunha reuniu com Pedro Balañá Mambrú actual proprietário da praça de touros e a resposta foi um rotundo não.

Não só Balañá não está disposto a ceder a praça, como também não está disposto a arrendá-la a nenhum empresário tauromáquico, porque de acordo com o que transmitiu aos aficionados na actual situação política e social tal não é aconselhável.

Depois desta reunião em que levaram com a porta nas trombas os “mimos” dos aficionados não se fizeram esperar ao ponto de o apelidarem de cobarde e traidor.

Esta escumalha nefasta parece não perceber uma frase tão simples como: É a economia estúpido.

A tauromaquia não é arte nem cultura, é um negócio, e são os próprios aficionados que o admitem como tal, se não fossem tão ignorantes, perceberiam que nenhum empresário que se preze de o ser quer perder dinheiro e Pedro Balañá sabe melhor que ninguém que as touradas em Barcelona são uma ruína.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 3 de Fevereiro de 2017

Dois Anos Para Proibir Touradas

O Tribunal Constitucional colombiano decidiu que  a lei que permite excepcionar como delito penal as touradas, corralejas, novilhadas, rejoneio, bezerradas e lutas de galos é inconstitucional alegando que uma vez que os animais são reconhecidos como seres sencientes é óbvio que estas actividades têm que estar abrangidas pela lei que proíbe  e criminaliza o maltrato animal.

Esta decisão surgiu na sequência de um recurso interposto por três cidadãs.

tribunal-constitucional-colombia

Como consequência desta decisão, o tribunal, deu dois anos ao Congresso para alterar a legislação e caso este não o faça, todas estas actividades serão punidas de acordo com o Código Penal que estabelece penas de prisão de 12 a 36 meses, proibição do exercício da actividade de 1 a 3 anos e multas de 5 a 60 salários mínimos mensais.

Vários congressistas já estão a preparar legislação que será apresentada em Março com vista a proibir todas estas actividades.

Se pelo caminho a corrupção não imperar então a Colômbia será um exemplo para o mundo e para os poucos  países que ainda permitem estas actividades bárbaras.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Older Posts »

Categorias