Publicado por: protouro | 15 de Dezembro de 2018

Aficionados Entram em Parafuso

O parque temático Warner de Madrid, Espanha retirou a pedido do Podemos uma estátua do Bugs Bunny toureiro.

De acordo com o Podemos não era coerente que num parque infantil se fizesse a apologia de uma tradição bárbara e sangrenta já que a ONU recomendou que Espanha afastasse as crianças da violência tauromáquica.

parque warner madrid

Embora tal tenha acontecido em Agosto só agora é que os aficionados se inteiraram de tal facto, e isso foi o bastante, para os pôr à beira de um ataque de nervos ao ponto de criarem as hashtags BugsBunnyTorero e YoNoVoyALaWarner.

Enfim se o ridículo matasse os aficionados há muito que tinham desaparecido do mapa!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

 

Anúncios
Publicado por: protouro | 13 de Dezembro de 2018

Ministra da Cultura Continua a ser Alvo a Abater

Na comemoração dos 50 anos da RTP 2 Graça Fonseca foi recebida no átrio do Cine-Teatro Capitólio com um paso doble.

Perante tal facto Graça Fonseca afirmou e citamos:

“Quando entrei até me assustei porque receei que me estivessem a levar para uma tourada.”

graca fonseca1

Tal foi o bastante para que o aficionado Joaquim Letria ripostasse afirmando:

“Quero acreditar que a senhora ministra disse o que disse por graça ou terá de aprender o que é um Paso Doble.”

Joaquim Letria afirmou ainda e citamos: “Quem a escolheu deve ter-lhe dito que a linha política do Governo é anti-tourada, senão ela não pensaria como pensa.”

Tocar um estilo musical espanhol na comemoração dos 50 anos de uma televisão portuguesa é de mau gosto e fazê-lo no preciso momento em que a ministra entrava no Cine-Teatro cheira a provocação, portanto, não é de espantar a inteligente e irónica afirmação da ministra.

E não, a ministra não cometeu nenhuma gafe já que embora o paso doble seja usado em marchas militares, hoje em dia é usado sobretudo em touradas e é conhecido pela sua associação à tauromaquia e não a marchas militares.

Portanto o aficionado jornalista Joaquim Letria perdeu uma boa ocasião para ficar calado primeiro porque demonstrou que o inculto é ele e segundo porque só mesmo um arrogante convencido poderia afirmar que a ministra faz o que lhe mandam e não tem cabeça para pensar por si própria.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 7 de Dezembro de 2018

Sociólogo Charlatão Caído em Desgraça Demite-se

Na sequência do artigo dado à estampa por Fernanda Câncio no DN e subsequente intervenção da Associação Portuguesa de Sociologia, Luís Capucha, professor do ISCTE demitiu-se do cargo de director da revista Problemas e Práticas em Sociologia.

O artigo em questão referia o facto do mesmo ser o autor de um estudo que afirma que a assistência a touradas não tem efeitos negativos em crianças. Estudo esse que foi considerado por outros sociólogos como sendo uma fraude científica.

capucha1

Depois deste escândalo e de todas as situações suspeitas em que está envolvido esperamos que o ISCTE o despeça.

Quem também se demitiu ou melhor renunciou ao cargo foi o deputado do PSD Luís Campos Ferreira, irmão da jornalista dos “Prós e Contras” e que teve a lata de tocar no parlamento uma música de touradas aquando da votação da descida do IVA para a tauromaquia.

Segundo o mesmo a renúncia deve-se a razões pessoais e profissionais.

As razões pessoais não sabemos quais são já quanto às profissionais é por demais óbvio, já que o dito cujo é arguido por indícios da prática de crime de recebimento indevido de vantagem no âmbito do caso das viagens de políticos a França para assistirem a jogos de futebol do Euro 2016.

Óptimo menos um deputado corrupto e aficionado no parlamento.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 5 de Dezembro de 2018

Associação Portuguesa de Sociologia Pede Parecer sobre Capucha

A website tauromafiosa “Tauronews” publicou um artigo no qual afirma que Luís Capucha está a ser vítima de um crime de ódio por parte dos anti-touradas que o apelidam de fraude, ignorante, etc devido à sua “brilhante” participação no programa “Prós e Contras”.

Convenientemente a “Tauronews”  esqueceu-se de mencionar que os tais supostos insultos nada têm a ver com o programa, mas sim, com o facto do tipo ter amanhado um estudo para tentar provar que assistir a touradas não tem efeitos negativos nas crianças.

É preciso ter uma latosa descomunal para afirmar que este labrego está a ser vítima de um crime de ódio, quando na realidade, quem destilou ódio contra todos aqueles que se opõem a um espectáculo tenebroso próprio de uma época medieval foi exactamente ele.

E a foto que se segue prova exactamente isso um arruaceiro completamente desnorteado a babar-se de ódio contra os abolicionistas.

luis capucha pros e contras

Luís Capucha provou que o seu fanatismo pela defesa da tauromaquia é tal que não olha a meios para atingir fins nem que para isso tenha que fabricar estudos que envergonham todos os sociólogos deste país.

Desta vez tramou-se já que João Teixeira Lopes presidente da Associação Portuguesa de Sociologia pediu um parecer ao respectivo Conselho Deontológico para que o caso seja analisado.

Ai Capucha, Capucha quem te manda a ti, sapateiro , tocar rabecão!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 4 de Dezembro de 2018

Deputados Presentes em Reunião da “Prótoiro”

A “prótoiro” realizou no passado dia 29 um reunião para discutir a estratégia para a tauromaquia e para a qual não convidou a imprensa tauromáquica.

Intelligence Convference in Phoenix, Arizona

Mas na dita cuja pasmem-se estiveram presentes representantes dos partidos que apoiaram a descida do IVA na Assembleia da República, ou seja deputados do CDS, PSD, PS e PCP.

O não terem convidado a imprensa foi propositado já que não queriam os mesmos revelassem o que foi discutido e postassem fotos dos deputados, portanto, sem fotos não sabemos quem foram os canalhas.

Os alarves que estiveram presentes não têm um pingo de vergonha na cara já que para além de terem votado para apoiar o lobby tauromáquico, agora também participam nas reuniões da “prótoiro”!

E se participam nessas reuniões é caso para perguntar em que outras coisas da “prótoiro” participarão?

Prótouro
Pelos touros em liberdade

 

Publicado por: protouro | 2 de Dezembro de 2018

Pegar o Sociólogo Pela Cornadura

Foi exactamente isso que fez Fernanda Câncio no artigo publicado ontem no DN intitulado “Sociólogo acusado de instrumentalizar revista científica para defender tauromaquia”.

O sociólogo é Luís Capucha professor do ISCTE o tal que embolsou 200.000 euros do Orçamento Participativo de Portugal para inscrever no inventário de património cultural imaterial a tauromaquia.

O artigo é devastador e prova que este tipo é um charlatão da pior espécie.

capucha charlatao

Fernanda Câncio uma jornalista de investigação fez aquilo que muitos que têm carteira profissional não fazem, ou seja, investigou e ouviu vários sociólogos que afirmam que o estudo que relaciona a actividade tauromáquica de cada zona do país com a taxa de criminalidade e que conclui, inquestionavelmente, que assistir a touradas não tem consequências negativas em crianças não permite tirar qualquer conclusão nem para um lado nem para o outro.

João Sedas Nunes professor no departamento de Sociologia da Universidade Nova vai mais longe e afirma que o artigo é um travesti de ciência e uma fraude científica.

Já perdemos a conta aos artigos que publicámos sobre este aldrabão, mas nós não somos jornalistas, e o que sabemos e sempre soubemos é que este alarve tem o apoio dos seus amigalhaços no PS os tais que lhe deram os 200.000 euros para o habilitar a continuar a propagar as suas charlatanices.

Depois desta fraude ainda alguém tem dúvidas que este país está pejado de medíocres, medíocres esses que se pavoneiam pelos jornais e televisões a debitar enormidades só porque têm um canudo?

Quanto ao ISCTE está à espera de quê para correr com este sociólogo da treta?

O artigo na íntegra pode ser lido AQUI

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 28 de Novembro de 2018

Todos os Partidos à Excepção do PAN Cavaram a sua Própria Sepultura

CDS, PSD e PCP todos defensores dos latifundiários e das dinastias tauromáquicas votaram a favor da descida do IVA para 6% para o espectáculo de terror que dá pelo nome de tourada.

Quanto ao PS foi a bandalheira total com o governo a defender o IVA a 13% e 43 retrógrados encabeçados pelo troglodita Carlos César a votar a favor do IVA a 6%.

Quanto ao BE pode ter votado contra, mas não deixa de ser em certa medida responsável por este desfecho, porque foi o partido que avançou com a descida da taxa para todos os espectáculos à excepção da tauromaquia.

Mariana Mortágua em Outubro anunciou que tinha a garantia que o IVA desceria para 6% para todos os espectáculos com excepção da tauromaquia que ficaria nos 13% . Posteriormente o BE anunciou que a proposta seria aumentar a tauromaquia para 23%. Ora o BE não é nenhum partido novato na Assembleia da República, e há muito que sabe, que uma grande parte dos deputados estão comprados pelo lobby tauromáquico, portanto quando apresentou tal proposta deveria saber que estava a brincar com fogo e quem brinca com fogo acaba por se queimar.

Entretanto a proposta do PAN para o fim da isenção de IVA dos “artistas” tauromáquicos foi rejeitada ou seja os mesmos continuarão a ser equiparados a médicos e a enfermeiros. Simplesmente vergonhoso.

E outras propostas apresentadas pelo PAN como a contratação de mais vigilantes da natureza e de higienistas orais para o SNS também foram rejeitadas, o que prova uma vez mais, que para muitos deputados a tortura animal é mais importante que a protecção da natureza ou a saúde.

Entre todos cavaram a própria sepultura porque o Zé povinho que paga IVA nos bens essenciais a 23% não lhes vai perdoar e nas próximas eleições em vez de carrinho vão de carroça.

Querem votos?

ze povinho

Quanto aos aficionados que pagam bilhetes – sim porque muitos não pagam – para assistir ao espectáculo bárbaro não batam palminhas porque no próximo ano vão despender o mesmo dinheiro, senão mais, que já gastavam quando o IVA era a 13%!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 26 de Novembro de 2018

Aficionados e Jornalistas Competem para Abater a Ministra da Cultura

A Ministra da Cultura Graça Fonseca pela sua frontalidade no que ao IVA das touradas diz respeito passou de imediato a ser uma pessoa a abater pelos aficionados ao ponto de criarem uma ridícula petição a pedir a sua demissão.

Petição essa criada há quase um mês e que ainda nem sequer tem dez mil assinaturas. Quando os aficionados afirmam que são três milhões está tudo dito.

Mas se pensavam que só seriam os aficionados a bater na ministra desenganem-se porque agora é a comunicação social que sedenta de notícias e desejosa de fabricar polémicas ataca a ministra e porquê?

Muito simplesmente porque Graça Fonseca que se encontra em Guadalajara, México quando questionada sobre o projecto-lei socialista que ainda não existe sobre touradas com velcro, se limitou a responder, que algo que era óptimo era estar há quatro dias sem ver jornais portugueses.

Posse de novos ministros do XXI Governo

Primeiro foram os aficionados em histeria porque acharam que ela os considerou incivilizados agora são os jornalistas aos gritos porque acham que ela os desconsiderou.

Todos sabemos que os aficionados como retardados mentais que são iriam reagir da forma que o fizeram já quanto à comunicação social a coisa pia mais fino, porquanto, esta reacção só se explica pelo simples facto que a ministra é incómoda e logo querem a todo custo queimá-la.

Tenham juízo senhores jornaleiros porque jornalistas a sério e isentos não questionariam a ministra sobre um hipotético projecto-lei sobre touradas com velcro, mas sim, como estaria a decorrer a participação de Portugal na Feira do Livro em Guadalajara.

O jornalismo hoje em dia é vergonhoso e nojento e a única finalidade é vender nem que para isso tenha que criar notícias falsas, destruir pessoas criando factos e se possível criar polémicas para ter matéria para falar durante semanas.

O jornalismo de investigação há muito que desapareceu e a comunicação social que hoje existe é esterco e a pergunta feita a Graça Fonseca não foi inocente, bem pelo contrário, portanto a resposta da ministra a uma pergunta estúpida e fora do contexto foi cinco estrelas.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 25 de Novembro de 2018

O “Expresso”, as Touradas com Velcro e os Aficionados em Parafuso

O jornal “Expresso” de ontem publicou em manchete que o deputado socialista João Pedro Alves vai apresentar um projecto-lei para modificar as touradas em Portugal de modo que as mesmas sejam feitas com velcro tal como acontece nos E.U.A. (Califórnia e Texas) e no Canadá. A Grécia não tem touradas nem com velcro nem sem velcro tal como o jornal menciona. A única tourada que se realizou na Grécia teve lugar nos anos 70 organizada por um tauromafioso português.

Afirma o jornal que o senil Manuel Alegre acha interessante e que a “prótoiro” e o PAN acham que é uma solução possível.

capa do expresso 24.11.2018

Quando lemos a manchete tivemos de imediato a certeza que o PAN jamais aceitaria tal solução como possível, porque estamos a falar de um partido que apresentou um projecto-lei para abolir a tauromaquia, projecto esse que foi rejeitado pelo parlamento.

E não estávamos errados porque de imediato o PAN se apressou e bem a desmentir tal declaração.

Resta portanto saber no que à “prótoiro” diz respeito se a mesma aceitaria tal solução possível como o jornal afirma ou não. O presidente da “prótoiro” Paulo Pessoa de Carvalho afirma que jamais disse tal coisa o jornalista afirma que o que publicou é exactamente o que mesmo lhe disse.

E com este diz que disse os aficionados entraram em parafuso porque para os mesmos a possibilidade de touradas com velcro é inaceitável já que é transformar a suposta cultura e arte num circo.

Se as touradas com velcro são um circo – note-se que somos absolutamente contra as mesmas porque embora os bovinos não sejam dilacerados por bandarilhas são sujeitos a altos níveis de abuso e stress – então a pergunta que se impõe é porque é que os tauricidas portugueses aceitam participar nas mesmas no E.U.A. e no Canadá e não aceitam tal prática em Portugal?

A resposta é simples porque o dinheiro que esta escumalha recebe fala mais alto. Já o dissemos várias vezes a tauromaquia não é arte nem cultura é um negócio, negócio sujo em que o único inocente é o animal explorado, torturado e morto num espectáculo de terror que enche o bandulho a todos os terroristas que vivem do mesmo e que delicia todos os bandalhos que o aplaudem!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 24 de Novembro de 2018

A Diarreia Mental do Padre Portocarrero

O Padre Gonçalo Portocarrero de Almada que durante muito tempo deixou de escrever enormidades sobre touradas e animais voltou hoje ao ataque no “Observador” com um artigo intitulado “As touradas: uma ética bestial?”

padre goncalo portocarrero

No artigo começa por misturar interrupção voluntária da gravidez, eutanásia, campanhas de adopção de animais domésticos, de recolha de alimentos, recolha de cobertores para cães vadios e etc, para depois afirmar e citamos:

“Não é aceitável, não só por questões da mais elementar ciência jurídica, mas também por razões de bom senso, equiparar os animais irracionais, ou as plantas, aos seres humanos, nem conceder-lhes personalidade jurídica: a ausência de inteligência e vontade impede que esses seres vivos possam ser titulares de direitos, do mesmo modo como obsta a que fiquem adstritos ao cumprimento de quaisquer obrigações: só a loucura e a prepotência de um Calígula explica que um cavalo possa ter sido senador em Roma!”

Quando afirma que os animais têm ausência de inteligência demonstra uma profunda ignorância e sabe porquê porque os corvos inventam e fabricam instrumentos para alcançar presas, muitos animais fazem luto, os chimpanzés têm a mesma inteligência que crianças de 2 anos e muitos mais exemplos poderíamos dar.

E se os animais não podem ter direitos porque não têm obrigações então o mesmo deveria acontecer com as crianças, os doentes mentais e as pessoas em coma profundo porque todos eles não têm obrigações.

E mais adiante afirma e voltamos a citar:

“No contexto de uma ética personalista, a vida animal deve ser encarada como instrumental para o homem, que é o cume de criação: as pessoas não existem para os animais, mas estes existem, como aliás as plantas e o resto do mundo, para o homem. Uma ética cristã é, por definição, antropocêntrica. E é, portanto, nesta perspectiva, que devem ser encaradas as diversas actividades lúdicas, como o circo ou as touradas.”

O especismo em todo o seu esplendor os animais existem para servir o homem e como tal podem ser abusados, explorados, torturados e mortos em nome da diversão.

Ai Padre Gonçalo Portocarrero você calado era um poeta!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Older Posts »

Categorias