Publicado por: protouro | 18 de Outubro de 2017

Indústria Tauromáquica Finta a Lei

No passado dia 14 Tomás Moura de 9 anos e Tomás S. Bastos de 10 anos tourearam em Vila Boim.

Uma vez que por lei não o podiam fazer numa tourada fizeram-no numa demonstração de toureio.

Imagens da tortura se existem e claro que existem foram simplesmente censuradas em todos os blogues tauromafiosos, no entanto, existem crónicas.

Afirma um blogue tauromafioso e citamos:

“TOMÁS MOURA

Todo um caso em que se viu bem a fonte onde bebeu. Sentido de lide, sortes bem desenhadas, desembaraço e a facilidade natural em chegar ao público, pesaram na sua apresentação, pesada por uma praça cheia…
Sacou três cavalos e em todos se desenrascou, e mesmo quando as bandarilhas não ficaram, as sortes foram bem desenhadas mesmo quando em sortes mais arriscadas…

TOMÁS S. BASTOS

Outro caso de um toureiro de dinastia. Filho do bandarilheiro David Antunes e sobrinho neto do matador José Julio, traz-me á ideia este slogan que imortalizou o dito matador : “É de vila Franca e chama-se José Julio”. É caso para dizer : ” È de V. franca e chama-se Tomás”…
Como é possível caber tanta raça e toureria num jovem de dez anos??’!!”

Uma vez mais a lei foi desrespeitada mesmo que para a fintar tenham mudado o nome de tourada para demonstração de toureio.

Mais uma prova a juntar a tantas outras que neste país a indústria tauromáquica faz o que bem quer e lhe apetece.

Já agora onde é que estava a Comissão de Protecção de Menores e a IGAC as tais, que em Setembro, não autorizaram que Tomás Moura se estreasse a torturar animais em Évora?

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Anúncios
Publicado por: protouro | 16 de Outubro de 2017

Os Mamões Tauromafiosos Querem Mais Subsídios

A Solange Pinto do blogue tauromafioso “touro e ouro”, publicou um artigo, onde afirma que o orçamento de estado alocou 480 milhões de euros para a cultura e que a tauromaquia não recebeu nem um cêntimo o que prova uma vez mais que a dita cuja sobrevive sem apoios estatais e europeus.

O descaramento ainda não paga imposto mas um dia quem sabe e se o OE não deu subsídios através do Ministério da Cultura para a decrépita tauromaquia, tal deve-se ao facto, de a mesma receber chorudos subsídios através do Ministério da Agricultura para a vaca brava de lide ou seja, a mãe dos bovinos que vocês chamam touros de lide.

Irra que este assunto já chateia, mas perante a vossa insistência em afirmar que não recebem subsídios, temos que voltar a afirmar, que a mentira tem perna curta e que mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo.

Milhões e não milhares de euros são dados de mão beijada à indústria tauromáquica e esta gaja ainda queria que o Ministério da Cultura também lhes desse dinheiro!

Granda lata!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 15 de Outubro de 2017

Um Organismo Corrupto Chamado IGAC

Infelizmente, a tortura em nome de uma suposta cultura popular é legal neste país graças aos “eruditos” legisladores que não têm dois neurónios funcionais para perceberem, que torturar animais para gáudio de uns quantos numa praça pública é inaceitável quer moralmente quer eticamente.

Mas uma vez que lamentavelmente tal legislação existe o mínimo que se poderia esperar é que a mesma fosse respeitada.

No entanto os que deveriam pugnar por fazerem cumprir essas regras de trampa não o fazem e todos nós pagamos essa cambada. Cambada essa que inclui veterinários, directores de touradas e inspectores da IGAC.


Toda esta gente há muito que se deixou corromper por ganadeiros e empresários tauromáquicos os quais também sugam o nosso dinheiro em subsídios de toda a espécie.

Toda esta máfia não olha a meios para atingir os fins, que mais não são, que enriquecer à conta da chacina de seres sencientes num espectáculo obsceno onde os únicos animais racionais são os touros e os cavalos.

Toda esta gentalha faz o que bem quer e lhe apetece com a conivência da IGAC já que esta inspecção há muito que se vendeu à indústria tauromáquica e se mais provas fossem precisas temos touros cegos , coxos e etc. Uma enormidade de irregularidades que violam o RET tal como o uso de bandarilhas negras.

Não fosse um blogue tauromafioso admitir tal uso, ao ponto de afirmar, que são raramente usadas em Portugal o que significa que as mesmas existem em todas as praças de touros e ninguém saberia, já que suspeitamos, que muitos dos aficionados que assistem à tortura não sabem o que são bandarilhas negras.

Mas se os aficionados não sabem a IGAC sabe e nada faz para impedir que as mesmas sejam usadas à revelia do RET.

Este país é sem dúvida um vómito!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 13 de Outubro de 2017

O Aficionado Alucinado

Luís Capucha deu uma entrevista a uma web tauromafiosa onde afirma que dois milhões de portugueses são aficionados, e que se todos se tivessem mobilizado para votar no orçamento participativo de Portugal a votação seria esmagadora.

Afirma ainda que as praças de touros estão sempre a abarrotar e que os empresários têm sucesso com as boas casas.

Este tipo é sem sombra de dúvida um fantasista desvairado uma vez que como todos nós sabemos, mesmo com a ajuda da “prótoiro” a distribuir panfletos e a ensinar como votar o projecto só teve uns cinco mil e tal votos.

E quanto às praças de touros a abarrotar espera-lhe pela pancada ou seja espera pelo relatório da IGAC.

Se 2016 foi um ano negro no que à tauromaquia diz respeito, 2017 será ainda mais negro porquanto, foram raras as praças de touros que conseguiram mais de meia lotação.

As touradas na catedral da tortura foram um verdadeiro fiasco no ano em que comemora 125 anos a massacrar animais.

Aquilo a que eles chamam Sevilha portuguesa, leia-se Vila Franca de Xira foi outro fiasco só para mencionar dois exemplos no entanto, este aldrabãozito ainda tem a lata de afirmar que existem dois milhões de aficionados e que as praças estão a abarrotar!

Sinceramente nós não sabemos o que é que este gajo e todos os aficionados fumam ou bebem, mas de uma coisa temos a certeza, seja lá o que for está a afectar-lhes o cérebro e de que maneira!

E o desvario destes tipos tem o apoio dos legisladores e graças aos mesmos e ao governo, este bandalho conseguiu enfiar no bolso 200.000 euros dos nossos impostos!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 7 de Outubro de 2017

VFX – Touro Cego e Bandarilhas Negras

O Regulamento do Espectáculo Tauromáquico neste país não serve nem para papel higiénico e a prová-lo, na tourada que teve lugar no passado dia 5 em Vila Franca de Xira, um dos touros que foi chacinado era cego de uma vista no entanto, o veterinário não conseguiu descortinar tal facto e o mesmo aconteceu com a IGAC e o director da tourada.

Ora no elenco dos motivos para a rejeição de bovinos num espectáculo tauromáquico o primeiro listado é exactamente defeito na visão.

Mas a pouca vergonha não se ficou por aqui, já que de acordo com o blogue tauromafioso “Farpas” esse mesmo touro foi bandarilhado não com um par, mas sim com dois pares de bandarilhas negras.

As bandarilhas negras ou bandarilhas de castigo são usadas em Espanha sendo que o arpão das mesmas é praticamente o dobro do arpão de uma bandarilha regular.

O RET no capítulo dedicado a ferragens leia-se instrumentos de tortura, não inclui este tipo de ferro o que significa, que as mesmas, foram usadas ilegalmente para castigar um animal que era cego de um olho.

Posto isto nós perguntamos mas porque raio é que foi aprovado um RET que ninguém cumpre?

O que é que acontece aos que o deveriam fazer cumprir e não fazem?

Nada porque este país mais não é que uma república bananeira!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 6 de Outubro de 2017

Feira de Vila Franca de Xira – Fiasco e Porrada

As touradas da feira de Outubro em Vila Franca foram um fiasco de público.

Na tourada do dia 3 de acordo com blogues tauromafiosos, os aficionados não gostaram dos bovinos, e durante a mesma, não se cansaram de vaiar e insultar o director da tourada, o veterinário e o gerente do antro Paulo Pessoa de Carvalho.

A balbúrdia nas bancadas foi de tal ordem, que a PSP,  se ofereceu para escoltar Paulo Pessoa de Carvalho para fora da praça no fim da mesma.

Mas como se toda essa violência não fosse bastante, nesse mesmo dia à tarde em frente da praça de touros, dois bandarilheiros Diogo Malafaia e Hugo David envolveram-se numa discussão por desavenças antigas que acabou numa cena de pancadaria com murros de parte a parte.

Pois é e depois os violentos e talibãs somos nós!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 4 de Outubro de 2017

Diário de Notícias Vende-se à Tauromáfia

Há muito que o DN deixou de ser um jornal de referência para se tornar num pasquim à caça de clickbaits mas como um mal nunca vem só, de há uns tempos a esta parte, começou também a publicar artigos a enaltecer a tauromaquia.

E quando pensávamos que o dito cujo não podia bater mais fundo eis que o mesmo nos surpreende ao incluir nos seus opinadores da treta o puto birrento da “prótoiro”.

Hélder Milheiro estreia-se no pasquim com um artigo de opinião intitulado “Touradas: sobre a coragem e a verdade no século XXI”.

O texto mais não é que um panfleto a elogiar a “coragem” dos supostos artistas que chacinam animais numa praça pública.

Para justificar o espectáculo aberrante tudo serve desde a citação do aficionado Orson Welles: “Os toureiros são actores a quem acontecem coisas de verdade” até pasmem-se uma citação de Nelson Mandela para justificar a coragem dos forcados: “Aprendi que a coragem não é a ausência do medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas o que conquista esse medo”.

E para justificar essa “coragem” sobretudo a dos forcados o rapazola afirma e citamos:

“Os forcados em particular, e a tauromaquia em geral, ensinam-nos a superar os nossos medos, a enfrentarmos o perigo com tranquilidade e elevação, a enfrentarmos a vida de frente e a “pegarmos o toiro pelos cornos”. Ensinam-nos a importância de colaborar com os outros, a agir em grupo, sendo solidários nos momentos mais difíceis, aqueles que exigem esforço e dádiva pessoal, arriscando até a própria vida para ajudar o próximo”.

Ora para desmontar toda esta verborreia do Milheirito sobre a suposta coragem dos forcaditos nada melhor que uma foto.

Não restam dúvidas, que os forcados, são homens cobardes que não agem em grupo e que mesmo tratando-se de um animal moribundo, se piram deixando os companheiros à mercê da sua sorte e já agora, foi essa “coragem” que tu tanto elogias, que matou os dois forcados que tu louvas no teu artigo.

Eles morreram graças à cobardia dos companheiros e graças a vocês aficionados que se sentam nas bancadas para aplaudir um espectáculo aberrante.

Se vocês fossem racionais, já teriam percebido há muito, que são vocês com o vosso vício anormal que contribuíram e continuarão a contribuir para estas mortes vocês, e unicamente vocês são os culpados e enquanto não conseguirem encaixar tal facto, todas as vossas lágrimas pela morte dos mesmos mais não são que lágrimas de crocodilo!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 3 de Outubro de 2017

“Os Animais Existem para nos Servir e Divertir”

Esta frase diz tudo sobre a mentalidade de todos os abusadores e exploradores de animais sejam eles tauricidas ou caçadores.

Argumentar com esta gentalha, é pura perda de tempo, porque por mais explicações que sejam dadas para que percebam que os animais não existem para nos servir ou para nos divertir eles simplesmente não entendem, ou melhor não querem entender.

Todos eles sem excepção defendem-se dizendo que ninguém mais do que eles ama os animais.

Os tauricidas afirmam que mimam os bovinos e os tratam como reis até entrarem numa praça de touros e quando tal acontece, é uma luta entre a vida e a morte na qual o toureiro pode morrer quando todos nós sabemos, que quem acaba sempre morto é o bovino e quando raramente é o carrasco que é morto, choram baba e ranho e ficam muito ofendidos se alguém diz que quem anda à chuva molha-se.

Ora sabendo os tauricidas e aficionados que estão em vias de extinção, a única forma que encontram para tentar obviar o seu desaparecimento é arranjar sangue novo, ou seja, doutrinando as crianças para a “arte” de massacrar bovinos numa praça pública.

É vergonhoso o que se passa nas praças de touros deste país, quando os blogues tauromafiosos mostram imagens de crianças algumas delas de colo, a assistirem a touradas sem que as autoridades impeçam  estes pais empedernidos de entrarem com os filhos nestes antros de tortura e massacre.

Esta imagem é somente um exemplo dum país que apesar de se dizer civilizado permite a exposição de menores à violência, e que depois se escandaliza, quando esses menores exercem essa violência em colegas de escola numa escalada que jamais parará porque foi essa a educação que receberam.

Enquanto esta violência não for abolida, a Assembleia da República, mais não é que um bordel onde uma maioria de legisladores se prostituem para favorecer os exploradores e abusadores de animais que lhes dão o tacho e o tachito!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 26 de Setembro de 2017

Seixalenses Contra Recuperação de Praça de Touros

O PAN – Seixal e o seu candidato André Nunes questionaram várias pessoas para saber o que é que pensavam a respeito do gasto pela autarquia de 368.000 euros na recuperação da praça de touros de Paio Pires.

Em vídeo a reacção dos seixalenses ouvidos.

 

Palavras para quê?

Uma vez mais se prova que a prioridade da câmara é vender-se ao lobby tauromáquico.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Publicado por: protouro | 24 de Setembro de 2017

Hélder Milheiro o Mentiroso a Tempo Inteiro

O rapazola da “prótoiro” deu uma extensa entrevista a um jornal espanhol onde uma vez mais mente com todos os dentes que tem na boca.

Afirmações como o Bullfest foi um sucesso,  cada vez há mais jovens nas touradas,  a marca touradas afirmou-se no mercado português, etc, as mentiras são mais que as mães.

Mas a parte mais hilária da entrevista é a parte sobre os anti-touradas. Quando perguntado como actuam os anti-touradas em Portugal, o pequeno responde que nós tratamos a tauromaquia portuguesa como se fosse espanhola vendendo o tema da morte e somos tão demagogos que utilizamos imagens de outros países e como se tal não bastasse, a nossa actuação é sempre a mesma porque está baseada no ódio e na intolerância.

Ó Milheirito a sério que nós vendemos a morte? Não deves ter espelhos em casa pois não?
Claro que não e deve ser por isso que usas camisas tão foleiras.

Quem vende a morte são vocês os aficionados e os tauricidas porque quer seja na arena, quer seja no matadouro, o destino dos touros é sempre a morte sob a capa de uma suposta cultura, que mais não é, que puro regojizo de mentes perversas que depois têm a distinta lata de afirmar, que a nossa luta se baseia no ódio e na intolerância.

Mas a estupidez e aldrabice do gaiato não se fica por aqui, e vai ao ponto de dizer, que em Portugal, os anti-touradas até há dois ou três anos eram irrelevantes e que só mudaram desde que passaram a ser financiados pela Alemanha, Benelux e pela CAS Internacional.

Ó Milheiro vai-te catar pá a luta anti-touradas começou há muitos anos ainda nem tu eras nascido e quanto aos financiamentos, cada vez que vocês vêm com essa treta acrescentam sempre mais uns quantos países. Alemanha? Benelux?
Só faltou dizer, como dizem os espanholitos, que somos financiados pelas multinacionais de comida para animais de companhia e pela Fundação Rockefeller.

Não somos financiados por ninguém mas se fôssemos pelo menos esse dinheiro não seria proveniente de dinheiros públicos cappicce?

Uma vez mais o Milheiro no seu pior já que cada vez que abre a bocarra só diz bacoradas.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias