Publicado por: protouro | 16 de Setembro de 2017

A Cultura da Violência

Os aficionados afirmam constantemente que são pessoas pacíficas e que ao contrário do futebol na tauromaquia não existe violência.

Pois claro que são pessoas pacíficas e é por isso que é rara a tourada em não haja porrada quer entre espectadores quer entre torturadores.

Anteontem, na praça de touros da Moita, o apoderado espanhol do tauricida Rui Fernandes envolveu-se numa discussão com o bandarilheiro João Prates quando se realizava o sorteio dos bovinos.

A gritaria era tanta que meia praça ouviu e a razão da discussão prendeu-se com o facto do espanhol não querer que o tauricida toureasse os touros que tinham mais de 600 quilos algo que foi objecto de discordância por parte do bandarilheiro.

Grito puxa grito e o espanhol não esteve com meias-medidas e agrediu o bandarilheiro.

Esta é a cultura de um mundo onde existe tortura e violência quer contra animais, quer contra humanos e foi esta cultura que o governo fraudulentamente premiou através do OPP quando decidiu que o projecto tauromafioso também era vencedor.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias