Publicado por: protouro | 4 de Março de 2015

O Aldrabãozito da “Prótoiro”

O Hélder Milheiro da “prótoiro” foi um dos participantes do I Congresso Internacional de Tauromaquia que teve lugar em Albacete.

Referido nos jornais espanhóis como perito em comunicação e marketing digital, o fulano lá deu a sua contribuição em espanholês sobre a tauromaquia no séc. XXI.

helder milheiro congresso albacete

Para uma plateia com umas dezenas de aficionados e um palco com meia dúzia de idiotas, o chico-esperto debitou coisas tais como em Portugal a tauromaquia está de boa saúde e recomenda-se. A televisão portuguesa emite entre uma média de sete a oito touradas por ano, mas anos houve em que emitiu 17 e 86% dos portugueses são contra a proibição de touradas sendo que só 11% são anti-touradas.

Mas as aldrabices não se ficaram por aqui: segundo o pirralho, Portugal é o único país que tem uma federação que engloba todos os sectores ligados à tauromaquia incluindo os aficionados algo que não acontece em Espanha ou França. A sério? A federação merdosa inclui os aficionados? Será que ele tem a coragem de dizer isso numa qualquer mesa redonda no nosso país? Nã , porque a “prótoiro” se está literalmente a cagar para os aficionados e não somos nós que o dizemos, são os aficionados quando afirmam que esta federação só existe para sacar dinheiro e que se está nas tintas para todos os que alimentam a “festa”.

Depois de ter impingido aos espanhóis todas estas mentiras, o puto apresentou a sua “brilhante” ideia para salvar a “festa” e neutralizar os anti-touradas e tal passa por criar um lobby internacional, lobby esse, que tem que actuar no Parlamento Europeu, na ONU e na UNESCO.

Porquê estes três organismos? A resposta é simples, o Parlamento Europeu porque estão borrados de medo que este ano os subsídios de milhões de euros dados às vacas bravas de lide se acabem, a ONU porque emitiu dois relatórios (Portugal e Colômbia) contra menores em touradas e finalmente a UNESCO porque estes gajos sofrem de uma obsessão maníaco-depressiva que os leva a acreditar que se a UNESCO declarar as touradas com património imaterial da humanidade isso significa, que todos os países que ainda têm estas práticas selvagens jamais as poderão abolir.

Só mesmo os tauromafiosos para acreditar que a UNESCO aceitaria como património uma prática bárbara que divide a sociedade e a divisão é tal, que só para citarmos um exemplo, em Espanha duas regiões aboliram as touradas (Canárias e Catalunha).

Prótouro
Pelos touros em liberdade


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias