Publicado por: protouro | 23 de Janeiro de 2015

A Temporada das Facas Longas

Em Setembro de 2014, foi criada uma nova empresa tauromáquica com sede nas Caldas da Rainha, que dá pelo nome de Derechazo, empresa essa que há alguns dias se apresentou aos jornalistas tauromafiosos com a finalidade, não só de dar a conhecer os seus membros, bem como as praças de touros que pretende gerir.

apresentacao da derechazo

Alguns blogues tauromafiosos, afirmaram que a empresa tem capitais angolanos, algo que à partida é no mínimo estranho, tendo em conta, que Angola não tem qualquer ligação à tauromaquia e assim sendo, porque raio é que capitais angolanos investiriam numa empresa tauromáquica?

Porque uma vez mais, os tauromafiosos, são peritos em inventar histórias da carochinha. Na realidade, a empresa não tem quaisquer capitais angolanos, tem um sócio português que trabalhou 31 anos em Angola e que decidiu investir o dinheiro que ganhou na referida empresa.

Estes tipos que se apelidam de jornalistas, não percebem, que existe uma grande diferença entre capitais angolanos e capital de um português que trabalhou em Angola.

Mas o mais interessante, não é a história dos capitais angolanos, o mais interessante é que um dos sócios é o Ricardo Levesinho, que é nem mais nem menos que o vice-presidente da Associação Portuguesa de Empresários Tauromáquicos e a coisa ferve quando uma das praças de touros que esta empresa vai gerir é a das Caldas da Rainha, gestão essa que pertencia há anos a Paulo Pessoa de Carvalho que é o presidente da Associação Portuguesa de Empresários Tauromáquicos!

Estes dois, são os mesmos, que no dia 6 de Janeiro, estavam unidos e em uníssono na Assembleia da República no âmbito da discussão na especialidade da proposta de lei sobre o acesso à profissão de torcionários tauromáquicos.

E agora a APET exige a quantia de 52 mil euros, leram bem cinquenta e dois mil euros, para que a empresa Derechazo possa fazer parte da associação e todos nós sabemos, que para organizar espectáculos de tortura, as empresas tauromáquicas e os empresários têm que pertencer à APET.

E assim vai o mundinho tauromáquico, facada aqui, facada acolá até ao dia, que graças a tanta facada sejam erradicados da face da terra, algo que já deveria ter acontecido há muito não se desse o caso de termos deputados e governantes vendidos ao lobby tauromáquico.

Prótouro
Pelos touros em liberdade


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias