Publicado por: protouro | 25 de Outubro de 2014

A Falta de Neurónios dos Aficionados

O programa “Repórter Infiltrado” da TVI, além de nos ter dado informações preciosas sobre o mundinho tauromáquico, também serviu para pôr a descoberto a falta de neurónios e a ignorância dos aficionados.

O desafio do repórter infiltrado, era modernizar as touradas e uma das perguntas feitas a vários aficionados e tauricidas, era se aceitavam touradas com velcro à semelhança do que acontece nos E.U.A. e no Canadá.

touradas com velcro1

As respostas que se seguem são elucidativas.

Um toureiro afirmou que tal não é possível porque o touro tem que ser bandarilhado, espicaçado segundo ele, senão não investe. Um aprendiz da escola de tauricidas do Campo Pequeno, disse que se tem que bandarilhar os touros para os acalmar!

A tauricida Sónia Matias, afirmou, que cada país tem a sua cultura, e essa não é a “cultura” portuguesa.  Primeiro a tourada não é cultura, seja ela sem velcro ou com e segundo, a tourada com velcro não é “cultura” americana. Desde quando é que os E.U.A. têm uma “cultura” de touradas? Pelos vistos, esta fulana desconhece, que só existem touradas em certos estados americanos, porque os portugueses que para lá imigraram, inventaram que as mesmas faziam parte da cultura religiosa de Portugal! Ora como os estados unidos não permitem maus tratos a animais, os tugas foram obrigados a inventar as touradas com velcro e curiosamente, os toureiros que no nosso país não aceitam  este tipo de espectáculo, quando lhes cheira a verdinhas, não têm qualquer problema em apanhar o primeiro avião para os estates para actuarem nas mesmas, como é o caso desta tipa.

Mas se pensam que só os tauricidas é que são ignorantes, estão muito enganados, um deputado do PSD eleito pelo círculo de Santarém, quando questionado sobre o mesmo tema, respondeu que tal não é possível porque os touros têm que ser enfraquecidos com as bandarilhas caso contrário os forcados não os podem pegar. Repita lá Sr. deputado? Por acaso já ouviu falar dos forcados de Turlock só para citar um exemplo, pois não deve ter ouvido caso contrário não teria proferido semelhante bacorada. No entanto, os nossos agradecimentos pelo facto de ter confirmado aquilo que estamos fartos de afirmar, que as bandarilhas enfraquecem e deixam os touros moribundos e que os forcados são tão mas tão valentões, que só pegam touros extenuados.

E por falar em forcados, o programa, deu-nos mais uma prova, que os mesmos não passam de um bando de arruaceiros e bêbados já que o mote dos cobardolas é o seguinte: “Juro e jurarei que beberei sempre até à morte”. Palavras para quê!

Este programa, que provavelmente passou despercebido a muita gente, teve o mérito não só de ridicularizar o mundinho tauromáquico, mas sobretudo de desvendar alguns segredos que eles teimam em esconder e vindo de um canal que até há bem pouco tempo organizava e transmitia touradas, é caso para dizer que o mesmo foi uma bandarilha bem espetada nos costados de todos os aficionados.

Prótouro
Pelos touros em liberdade


Responses

  1. Outro mote da “forcadagem” é: “Venha Vinho!”

    • Pois esse é o mais conhecido😉

  2. Em qualquer tourada, o stress emocional, psicológico, físico do touro e do cavalo (quando este é obrigado a entrar na aberração) é enorme, seja quando sangue é derramado (cruenta) ou sem derramamento de sangue (não cruenta). Mas qualquer modalidade é cruel.
    Os tauricidas revelam muita ignorância, pouca inteligência, sensibilidade embotada, falta de ética e muita falácia a preencher as mentalidades.
    Muitos “embaixadores” da praga tauromáquica que envergonha Portugal nos Estados Unidos da América do Norte e no Canadá, provêm da Ilha Terceira dos Açores.
    Como o touro reage contra a agressão e dor com combatividade, os “desenrascados” organizadores das touradas com velcro tentam colocar debaixo do velcro e contra o couro dos touros, objectos pontiagudos que magoam o animal, quando a “bandarilha” provida de ventosa é comprimida pelo toureiro à laia de bandarilha contra o velcro.
    Por vezes, a artimanha é identificada pelas autoridades fiscalizadoras e há punição.

    • De facto, as touradas com velcro, sempre nos pareceram muito suspeitas e temos conhecimento do caso que o Dr. Vasco relata, onde os investigadores que denunciaram a situação, ou seja o arpão escondido debaixo do velcro, foram agredidos pelos tugas que organizaram a tourada.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias