Publicado por: protouro | 26 de Março de 2014

Em França Existem Duas Leis

A tão apregoada democrática república francesa, a tal da liberdade, igualdade e fraternidade, afinal tem dois tipos de leis, uma para os aficionados e outra para os cidadãos que se opõem ao nojento espectáculo que consiste em torturar e matar bovinos.

Políticos, procuradores e juízes foram comprados pelo lobby tauromáquico. O testa de ferro do lobby é o ministro do interior Manuel Valls.

Como se não bastasse existir uma lei que permite que em certas regiões existam touradas, existem também leis que protegem os torcionários. Leis essas, emanadas pelas câmaras municipais, que proíbem manifestações anti-touradas a uma certa distância das praças de tortura.

Leis antidemocráticas, que foram feitas, para impossibilitar todos aqueles que se manifestam contra a barbárie tauromáquica, mas que jamais nos impedirão de nos manifestarmos contra uma prática aberrante que tem que ser abolida.

Mas vamos a factos:

– Em Outubro de 2011, numa manifestação que teve lugar em Rodilhan, vários manifestantes que se encontravam acorrentados no meio da arena, foram agredidos violentamente por aficionados sob o olhar do presidente da câmara municipal da vilória. Todos os aficionados foram identificados mas até hoje ainda ninguém foi julgado.

– Em Agosto de 2013, em Rion-des-Landes o mesmo tipo de acção foi levado a cabo por anti-touradas e pasme-se, em menos de um ano, manifestantes e associações organizadoras, são acusados dos seguintes crimes: insultos a aficionados, manifestação ilegal, pôr em perigo a vida de outrém e se o ridículo matasse, impedir os toureiros de exercerem a sua profissão.

24.8.2013 Rion des Landes

Há dois dias atrás, oito manifestantes (incluindo um manifestante que foi brutalmente agredido por um aficionado ao ponto de sofrer um traumatismo craniano e ficar em coma) e três associações defensoras dos direitos dos animais, foram presentes ao tribunal correccional de Dax.

O processo relativo a manifestação ilegal, impedimento de exercício de profissão e etc, foi adiado para Novembro, no entanto o relativo a insultos a aficionados, culminou com a condenação do presidente do CRAC – Comité Radicalement Anti-Corrida, numa multa de 300 euros e ao pagamento de uma indemnização de 50 euros a cada um dos 14 aficionados que apresentaram queixa por se sentirem insultados.

Os “insultos” pelos quais se sentiram muito ofendidos foram: ” Bárbaros, sádicos e perversos”!

Ai França, França a tua justiça bateu no fundo. Definir o verdadeiro carácter dos aficionados, não é um insulto e somente um tribunal vendido aos mesmos poderia decretar tal sentença!

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Anúncios

Responses

  1. Este Manuel Valls foi hoje, 31/3. eleito primeiro-ministro de França… :/ O Hollande mete os pés pelas mãos a torto e a direito…

    Por cá tb queriam ter duas leis para impedirem os anti-touradas de se manifestarem…

  2. A inversão de valores está a ser conseguida pela máfia tauromáquica em França através de políticos, forças de ordem, tribunais.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias