Publicado por: protouro | 16 de Agosto de 2013

“Prótoiro” uma Federação de Ranhosos com Muito Dinheiro

A esta federação, dinheiro não lhes falta. Depois de terem inventado o movimento “Vianenses pela liberdade”, é vê-los a gastar dinheiro em sondagens, publicidade, tribunais e tudo o mais que o dinheiro puder comprar.

O estratagema desta gentalha, pela qual dá a cara o imberbe  Diogo Monteiro, passa por uma campanha de intimidação a todas as Câmaras Municipais, sendo que neste momento Viana é o alvo a abater. Sim porque não pensem que as intimidações se resumem a Viana.

Na verdade, sempre que uma tourada é anunciada numa cidade pela primeira vez e existe contestação, lá está a “prótoiro”, quer através de cartas ameaçadoras quer presencialmente a intimidar os autarcas.

A estratégia, passa por intimidar os autarcas indecisos em deferir licenças para espectáculos itenerantes, algo que é da inteira competência dos mesmos e nada tem a ver com o decreto-lei vergonhoso, que permite, que neste país estes espectáculos escabrosos continuem a existir.

Diga o que a “prótoiro” disser e palavra de burro, com o devido respeito pelo burro propriamente dito, não chega ao céu, são as câmaras municipais que têm competência para licenciar quaisquer tipos de espectáculos itenerantes nos quais se incluem as touradas.

Essas competências, integram-se num fenómeno, que se chama descentralização e que é algo que das duas uma, ou estes tipos não fazem ideia do que seja ou fingem que não sabem.

No entanto, existem autarcas que cedem à intimidação. É caso para perguntar, cedem porque são ignorantes dos poderes que detêm ou porque não estão para se chatear?

Seja qual for o caso, deveriam demitir-se quer porque são ignorantes quer porque não respeitam a vontade do povo que os elegeu!

No caso de Viana o que temos vindo a assistir nestes últimos quinze dias, no que respeita à atitude desta federação de merdosos,  só é concebível numa república do sub-sub-mundo, não num país que faz parte da U.E..

Falamos de uma dezena de energúmenos, que tentam impôr por todos os meios  aos vianenes algo que eles não querem, ao ponto de alugar mupis para insultar o presidente da câmara.

protoiro intimidacao

O mote desta campanha, contra o presidente da autarquia de Viana, por parte do movimento “vianenses pela liberdade”, vulgo “prótoiro”, demonstra a infantilidade desta gente e faz-nos lembrar os putos rebeldes, que quando estão chateados, se viram para o pai e dizem:
“Tu não mandas em mim!”.

Se bem que não sejamos apologistas de violência física contra criancinhas, achamos que estas estão a precisar de levar uma boas palmadas no dito cujo para perceberem de uma vez por todas que devem respeitar os adultos ou neste caso os poderes instituídos.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Anúncios

Responses

  1. O que é mais lamentável de tudo é que indirectamente, nós os que achamos este espectáculo horrível, contribuímos para ele, através das subvenções que o estado lhes confere. É inacreditável.

  2. Há muito que a questão de Viana do Castelo transbordou a esfera da luta pelo fim da tortura animal. Esse continua a ser um dos focos principais, sem dúvida, mas neste momento assiste-se a uma verdadeira luta contra a corrupção instalada. De um lado temos o povo, mais ou menos organizado, contado apenas com a sua boa vontade e fidelidade aos princípios humanos. Do outro temos uma organização criminosa, a cara de um submundo de corrupção e opressão, amplamente financiada com um único propósito: manter o rio de dinheiro que alimenta os mesmos opressores.
    As acções desta associação fazem lembrar ditadores de 3º mundo: a opressão popular e imposição de vontades, tudo em nome de uma pretensa “liberdade cultural” que só faz sentido no seu retorcido referencial moral.
    Durante a 2ª Guerra Mundial, para suprimir os movimentos rebeldes nos países ocupados, os nazis tinham por prática a execução pública de toda a povoação onde esse rebeldes fossem descobertos. Ao manifestar-se anti touradas, o povo de Viana do Castelo assumiu-se como rebelde num país controlado pela máfia tauromáquica. Esta tourada não é mais do que o seu fuzilamento público.
    Felizmente a causa anti touradas partilha os mesmos princípios morais que estes movimentos rebeldes e o mundo tauromáquico partilha o mesmo estado decadente que o regime nazi. Se a história nos ensinou alguma coisa foi que os regimes que tentam impor os seus valores pela força têm fim anunciado.

  3. Lamento muito que o juíz tenha dado provimento à causa da bárbarie. Corresponde, do meu ponto de vista, à entrega de crianças à guarda de pessoas que as maltratam. Por vezes é difícil perceber os juízes, que auferindo bons vencimentos, regalias que quase ninguém tem e outros subsídios improváveis para a maioria dos portugueses, ainda decidem contra a maioria do povo português. Mesmo sabendo que por vezes não se pode ser tão simplista na análise do que o juíz decide, também sabemos que, em assuntos como este, o bom ou o mau senso do juíz pode decidir a questão. Neste caso decidiu mal.
    Quanto à mácriação do promotor da corrida de toiros, manifestada com o gozo com o Presidente da Câmara de Viana do Castelo, é próprio desta gente bandalha. Mais cedo do que tarde vai ter a resposta com a proibição das touradas em Portugal.
    O bom exemplo deste autarca e desta autarquia tem que ser premiada com a luta daqueles que estão envolvidos no objectivo do fim das touradas em Portugal.
    Há que ser persistente.

  4. Estes bandalhos da prótoiro se têm dinheiro, certamente não advem só das touradas.pois é do conhecimento público que estes bárbaros da tauromaquia estão práticamente falidos, seria bom tentar-mos investigar de onde vem esse dinheiro! a violência que eles exercem sobre quem não concorda com a barbárie ficou bem demonstrada no ano passado, quando um desses trogloditas investiu com o cavalo sobre quem se estava a manifestar pacificamente. Agora pergunto, de que serve uma autarquia não autorizar as touradas se depois o tribunal passa por cima e autoriza??? todos sabemos que a nossa justiça em primeiro lugar defende os crimimosos, mas isto já e demais!!! Até quando teremos que assistir a meia duzia de campónios que em vez de se dedicarem á agricultura preferem torturar animais e ainda conseguem manipular opiniões???

  5. Pelo que vejo, a única forma de convecer as Municipalidades a não autorizar essa barbárie é mexendo na parte finaneira. Proponho o seguinte: Criem um Mapa de Portugal e Espanha juntos, onde apareceria os Municípios que incentivam touradas, coloque no Face que os Turistas teriam opção de riscarem de seus itinerários essa cidades.

    • Penso que é uma ideia muito interessante, que mexeria na reputação das municipalidades “olés” e na economia amealhada pela tortura; que alertaria os turistas com sentido de ética e respeitadores dos animais; que ajudaria a prevenir pessoas de irem ao engano, …

  6. Absolutamente de acordo, quando a bem e com a razão não se conseguem progressos. Como se diz na Alemanha: “Erst mit Geduld, nachher mit Gewalt”. Isto significa: “Primeiro com paciência, depois com violência”.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias