Publicado por: protouro | 30 de Janeiro de 2013

Crianças em Risco – Escolas de Tauromaquia

No nosso país existem muitas centenas, senão milhares, de crianças em risco por diversos factores, disputas entre progenitores, violência doméstica e num dos piores cenários por pobreza.

Estas últimas, são vítimas de um governo que envia para o desemprego centenas de milhares de trabalhadores, fazendo com que muitos destes pais não lhes possam dar tudo aquilo a que elas têm direito nomeadamente o direito mais básico que existe, o direito a alimentarem-se.
Aos pais destas crianças foi-lhes retirado tudo pelo estado, incluindo a dignidade de serem bons pais.

Mas existem progenitores e progenitores. Enquanto uns mesmo vivendo na miséria tentam proteger os seus filhos, outros existem que expõem os seus filhos a riscos completamente inaceitáveis.

Quantos pais neste país permitem que crianças de tenra idade frequentem escolas de tauromaquia onde começam por aprender a torturar um bezerro? Muitos.

Porque é que estas crianças, ao contrário das outras crianças, não estão sinalizadas pela segurança social ou pela comissão de protecção de menores?

Qual é a diferença entre os pais que deixam que os seus filhos se arrisquem a ferimentos por se porem à frente de um bezerro que tudo faz para se defender da agressão a que é submetido, dos outros pais cujos menores estão sinalizados porque os pais são pobres?
Dinheiro.

crianca e bezerro1

crianca e bezerro

Será que alguma vez a segurança social investigou as famílias que permitem que os seus filhos frequentem a partir dos 6 anos de idade escolas de tauromaquia?

É que meus senhores estas crianças também se encontram entre o leque das crianças em risco e com a agravante de estarem porque os pais assim o desejam. Se isto não é negligência parental então é o quê?

Jorge Sampaio, ex-presidente da república e aficionado convicto, afirmou que Portugal tem que investir na educação. Nós estamos inteiramente de acordo desde que essa educação passe por respeitar todos os seres sencientes.

Enquanto existirem escolas de tauromaquia, enquanto se ensinar às crianças que torturar e matar animais é aceitável, isso não é incutir nas mesmas valores de vida em sociedade, antes pelo contrário é uma forma de criar futuras gerações desprovidas de qualquer sensibilidade no que respeita à vida seja ela de humanos ou de animais.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Anúncios

Responses

  1. Nos dias de hoje há que começar a lavagem cerebral o mais cedo possível pois de outra forma não pega.
    Os aficionados estão fartos de saber que, por vontade própria, nenhum ser humano saudável consegue apreciar touradas. Não só não as aprecia como as combate activamente.
    Formar aficionados antigamente era mais fácil. Bastava que houvesse uma praça de touros nas redondezas e a pobreza mental e social da população tratava do resto. Mas felizmente Portugal evoluiu neste sentido. Hoje as crianças tem acesso a informação que antes era impossível. Desde cedo percebem que a tourada é algo desprezível e que deve ser combatido e a prova disso é toda uma nova geração que se manifesta activamente quer online quer mesmo fisicamente. Os aficionados sabem disso e estão assustados. O fim da tauromaquia por via política é uma possibilidade mas o fim devido à extinção do aficionado é uma realidade.
    Hoje em dia para se criar um aficionado é preciso submeter um sujeito a esta mentalidade corrupta continuamente e o mais cedo possível (e mesmo assim não há garantias de sucesso). Há simplesmente demasiada informação e a pressão para o fim desta prática é palpável na sociedade. A única forma destes miúdos se manterem aficionados é por isolamento social. Basta um deles ir para o ensino secundário ou mesmo para o superior para ter noção do ridículo da sua existência enquanto aficionado. É o que vejo por aí: ser jovem aficionado hoje em dia é sinónimo de ignorância e dá tanto direito a ser gozado na escola como levar um par de meias de cor diferente.
    Mas mais uma vez a vítima no meio disto tudo é quem não tem culpa nenhuma…

  2. Isto é também a consequência da incompetência dos governantes.

    Todo o mal começa pelo INSTINTO MALIGNO que as pessoas já trazem ao nascer, e da IGNORÂNCIA em que se atolam durante toda a vida delas.

    Pais ignorantes com governos incompetentes formam crianças que mais tarde serão os marginais da sociedade.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias