Publicado por: protouro | 20 de Novembro de 2012

Os Pinóquios da “Prótoiro”

Há muito tempo, precisamente em 1883, Carlo Collodi escreveu um romance intitulado “As Aventuras de Pinóquio”.

Nesse romance, Geppetto a partir de um tronco de uma árvore, esculpe um pequeno boneco de madeira que sonhava em ser um menino de verdade. Uma fada madrinha dá vida ao pequeno boneco mas avisa-o que sempre que mentir o seu nariz vai crescer.

A “prótoiro”, está cheia de Pinóquios. Por exemplo, num documentário sobre touradas exibido no programa Biosfera, o nariz do Diogo Monteiro devia ter crescido vários metros à medida que negava pela enésima vez que a tauromaquia e afins não recebiam subsídios do Estado.

A estratégia passa por negar, negar até que alguém acredite. O problema destes tipos é que as provam evidenciam exactamente o contrário.

A tauromaquia recebe subsídios da PAC, do IFAP e das Câmaras Municipais. Contra factos é inútil continuarem a negar e a chamar-nos mentirosos e demagogos.

Curiosamente, a maioria dos seus pares ao contrário de negar estes subsídios até os proclamam ufanamente nas suas websites e blogs.

Só a “prótoiro” os nega.

Mas a pergunta que se impõe é porque é que esta gente recebe subsídios?

Criam vários animais entre os quais touros de lide, têm outros negócios paralelos ou integrados na exploração, portanto porque é que recebem subsídios? Ou bem que a exploração é rentável ou bem que não é.

Quantos outros negócios neste país recebem subsídios? Porque é que uns quantos recebem subsídios e outros não?

Ou mamam todos da teta do Estado ou não há moralidade.

Criar animais ao contrário de muitos outros negócios até é rentável. Afinal, infelizmente nem toda a gente é vegetariana. Sendo o negócio rentável porque carga d’água é que recebe subsídios, especialmente quando estes são escandalosamente obscenos, porque não falamos de uns milhares de euros, falamos de milhões.

Por exemplo a PAC é uma obscenidade sem nome, é uma fonte de corrupção desmedida porque se alguém se der ao trabalho de verificar quem mais beneficia destes subsídios, verá por exemplo que a família real britânica e a aristocracia sendo proprietárias de quase todos os terrenos do país beneficiam de biliões. Em Espanha, a duquesa de Alba que é proprietária de milhares de hectares de terrenos, recebe milhões.

Os milhões ou biliões que esta gente recebe da PAC ainda são sustentados com mais uns milhões dos respectivos governos, tudo à conta dos impostos que os cidadões europeus pagam para que esta gente viva à tripa forra. Enquanto isso os cidadãos europeus são contemplados com medidas de austeridade da pior espécie. Entretanto a União Europeia continua a proclamar que esta gente tem direito a estes subsídios e que não têm competência para interferir nos costumes e tradições dos respectivos estados membros.

Se não têm competência para tal então não interfiram, porque dar subsídios de mão beijada para a criação de touros de lide, é interferir, ou melhor é permitir que barbaridade das touradas se perpetue, mesmo sabendo que a maioria dos cidadãos europeus se opõe e não quer que os seus impostos sejam usados nestas práticas aberrantes que só têm lugar em 3 países membros num universo de 27.

Com uma União Europeia como esta deixamos a pergunta no ar quem é que quer continuar a fazer parte da mesma?

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Anúncios

Responses

  1. enquanto o durão baboso ocupar o cargo que ocupa, a tauromaquia será invisível para as restantes instâncias europeias.
    (digo eu)


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias