Publicado por: protouro | 21 de Setembro de 2012

Um Toureiro Que Pensa Que é Jesus Cristo

Deixai vir a mim as criancinhas. Não esta não é uma afirmação de Jesus Cristo. Esta é uma afirmação do novilheiro espanhol Mario Alcalde.

Este torturador de animais, quer criar afição e para isso nada melhor que educar as criancinhas na “arte” de bem torturar animais.

Para isso o biltre convida todas as criancinhas a acompanhá-lo desde o hotel onde vai ficar instalado até à praça de touros de Madrid. Para que depois as criancinhas digam: Paizinho leva-me a ver touradas!!!

Porque segundo ele a festa tem que ser fomentada e a melhor maneira passa por ensinar às criancinhas a “beleza” de terem como ídolo um torturador de animais.

A “festa” está podre e moribunda, os adolescentes não se interessam ou abominam tais práticas, portanto há que atacar as criancinhas que na sua ingenuidade podem acreditar que os toureiros são heróis e modelos a seguir.

O desespero desta gente para criar novos aficionados, é tão grande que passa por levar turmas de crianças de tenra idade a assistir de forma gratuita a touradas, descontos de 50% nos bilhetes para jovens e etc.

Nenhum país pode evoluir se continuarmos a ter pais permissivos que permitem que os seus filhos sejam educados por abusadores de animais.

Se bem que a educação dos filhos é da responsabilidade dos pais, essa mesma educação deveria deixar de lhes pertencer quando esses mesmos pais permitem este tipo de situações.
Não nos venham dizer que somos fundamentalistas ou terroristas quando se trata de respeitar seres sencientes.
Estamos a falar do futuro destas crianças e adolescentes, que um dia mais tarde, dessensibilizadas pelo facto de terem assistido a estes espectáculos, deixarão de saber o que é empatia. Se para eles torturar um animal é algo normal, torturar ou matar outro semelhante passa a ser também algo normal.

Como exemplo, temos uma criança de 13 anos, natural de Tordesilhas, lugarejo célebre por matar touros com lanças que ao ser interrogada por um jornal espanhol sobre a “festa tradicional”, afirmou o seguinte:
“Não, não temos pena do animal. Eu não sou um touro. Não me importa que ele sofra. Para mim tanto me dá”.

Afirmações como esta provenientes de uma criança de 13 anos, fazem antever o pior e deixam qualquer pessoa petrificada.

O que é que esta criança será no futuro? Outro abusador de animais ou ainda pior?

Senão travarmos estes abusadores de animais de disseminarem esta aberração, jamais conseguiremos ter uma sociedade evoluída onde todos, mas todos respeitem os animais.

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias